segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

[Resenha] Nos braços do roqueiro (série The Rocker #1) de Terri Anne Browning

 

Editora: Bezz
Páginas: 148
Publicação: 2016     
 
Ember Jamenson, mais conhecida como Emmie teve uma infância muito sofrida. Sua mãe era dependente química e alcoólica, e constantemente apanhava por ela. Sua única saída de socorro é na casa dos seus quatro amigos Nik, Jesse, Shane e Drake. Eles sempre cuidaram dela e a amizade foi crescendo desde então. Após a morte de sua mãe, Emmie, os quatro amigos, agora roqueiros famosos assumiram o posto de guardiões. Anos se passaram e ela é como uma babá para eles, pois tem que controlar as fãs nos bastidores e organizar as agendas da banda Demon Wings. Apesar de ela sentir que eles são como irmãos, a jovem sempre nutriu um sentimento a mais por Nik, o vocalista. Determinado dia algo acontece e uma escolha poderá definir dois caminhos: a amizade fortalecerá ou o que estava tudo perfeito desmoronará diante deles.
Quando recebi este livro da editora fiquei ansioso para ler, pois amo histórias envolvendo música e romance. A minha primeira impressão foi que este livro é pequeno, 147 páginas, fiquei triste porque sempre gosto de livros maiores (rs), assim que terminei fiquei triste por acabar tão rápido, mas foi uma leitura que gostei.
Emmie é uma menina de 21 anos, que sua vida é cuidar dos integrantes da banda Demon Wings. Os quatro amigos roqueiros são as pessoas mais importantes de sua vida, pois a ajudaram num momento delicado de sua vida. Emmie cuida de cada um, e este amor é recíproco. Ela sempre foi apaixonada por Nik, mas sempre escondeu tal sentimento, pois fica temerosa ao se declarar e ver tudo a perder entre eles. Nik, é um vocalista famoso e romântico. Seu amor por Emmie sempre foi de vê-la feliz e bem cuidada. Ele se expressa de maneira bonita, como todos os integrantes.
O livro é narrado por Emmie, foi interessante acompanhar seu ponto de vista, mas tenho que confessar que algumas atitudes da moça me incomodaram bastante, por ser um tanto imatura. No entanto, a relação entre ela e os roqueiros é linda. A forma que todos cuidam um dos outros é expressão de uma linda amizade. São homens que expressam seus sentimentos, ao invés de serem misteriosos.
A escrita de Terri é envolvente do começo ao fim, é tanto que terminei o livro num dia. A trama é objetiva, mas percebi que ela poderia ter incrementado mais coisas, mas a pouca quantidade de páginas não desvaloriza a história. Possui poucos conflitos e fez com que tornasse uma leitura ágil.
Para os fãs de romance envolvendo música, “Nos braços do roqueiro”, primeiro volume da série The Rocker tem tudo para te conquistar. Um livro rápido de ler, mas há muito demonstração de amor de uma banda de homens fortes e tatuados e uma menina que sofreu na infância, mas deu a volta por cima.                                                                    
Onde comprar?


quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

[RESENHA] Quando Eu Parti de Gayle Forman

Editora: Record 
Páginas: 309
Publicação: 2015

Maribeth Klein é uma mulher muito ocupada. É casada, mas parece que não. Seu marido é mais omisso que tudo e ela tem que se virar sozinha para sustentar seus dois filhos gêmeos. No trabalho, sua chefe a incomoda muito. Sua vida é atribulada demais e, sem mais nem menos, ela sofre um ataque cardíaco inesperado. Quando é socorrida, percebe que sua lesão é mais grave ainda e ela terá que passar por uma séria cirurgia. Após estar melhor, ela decide jogar tudo pro alto e ir buscar a opinião de um cardiologista em outra cidade. Mas, ao fazer isso ela começa a enfrentar fantasmas de seu passado e ressignificar sua vida e seu futuro.

O plot de uma mulher que sofre um abalo e redescobre o valor à vida definitivamente não é novo, já sendo altamente usado em livros e filmes. No caso desse livro, Gayle não traz nenhum adicional ao que já foi escrito e apenas reproduz essa ideia.

Acompanho a obra da Gayle Forman desde o seu primeiro livro publicado no Brasil. Já li todos os dela publicados aqui e um que ainda não foi publicado. Tenho uma relação que não chega a ser de amor e ódio, mas sim de altos e baixos com ela. Alguns livros eu amo e outros acho fraquíssimo. Foi o caso desse volume.

Esse é tomado como o primeiro livro adulto de Gayle Forman, cuja obra, até então, estava voltada para o público jovem adulto e infantojuvenil. No entanto, senti a necessidade da evolução d eplots e dos conflitos internos da protagonista nesse sentido. Todo o livro poderia facilmente ser mais um dos YA de sua lista, contando com a única diferença que neste os personagens tem idade maior. Para um livro ser adulto não basta apenas que seus protagonistas assim o sejam, é necessário mais que isso.

No mais, acredito que esse é um livro para quem gosta da autora, mas não espere grandes novidades ou um bom enredo da trama.
                                                                     

Onde comprar?

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

[Resenha] Provocante (Provocante #1.1) de Paola Scott


 
Editora: Charme
Páginas: 310
Publicação: 2016     
 
Paola é uma mulher já na casa dos quarenta, solteira e mãe de uma menina de dezesseis anos. Ela já foi casada, teve relacionamentos que não conseguiram superar suas expectativas. Ela é contadora, independente e muito bem resolvida. Além disso, é uma leitora voraz de romances eróticos. Paola irá prestar serviço para um advogado, que mal sabe que irá deixar seus hormônios à flor da pele. Pedro Lacerda é um advogado sério e competente, porém, ele nem tudo na sua vida há um quadro branco de acertos. Ele está acostumado a se relacionar com mulheres mais novas, sempre prezando nenhum compromisso sério. Porém, quando conhece a contadora que irá resolver alguns problemas com a Receita Federal, algo em seu interior desperta. Ele irá descobrir e experimentar coisas novas, pois não está acostumado a ter companhia de uma mulher mais experiente. Nem tudo são flores, e esse casal passará uma provação que irá definir o status deste relacionamento.
Quando li a sinopse deste livro já sabia que seria algo diferente do que costumo ler. Percebe-se que se trata de personagens maduros e conflitos mais sérios. Normalmente estou acostumado com personagens beirando minha idade, o que há certa identificação de imediato, pois normalmente são sobre coisas que vejo ou vivencio ao meu redor. Porém, este livro não me fez sentir um peixe fora d’água. Foi um romance rápido e envolvente.
Paola é o exemplo da mulher moderna. Ela é independente, cuida de sua filha de dezesseis anos, é leitora assumida de 50 tons de cinza sem vergonha nenhuma e vive sua vida intensamente, mas quando a relação é sobre o mundo masculino a coisa fica mais séria, pois ela não está desesperada em ter um relacionamento sério, ela quer um homem com atitude e que alcance suas expectativas. Pedro é o modelo ideal para ser este tipo de homem. É bonito, conquistador e sabe como agradar uma mulher em todos os sentidos. Paola inúmeras vezes se vê dentro de um livro que costuma ler, pois Pedro a cada dia para provar que é o homem certo para ela a surpreende. No entanto, nem sempre nos livros a presença da fantasia prevalece e os tempos maus também surgem sobre os personagens, e não será diferente para este casal.
O que achei muito interessante é a forma que a autora conduziu os personagens e o relacionamento entre eles. São duas pessoas maduras, sendo que uma está um tempo sem se relacionar e outra não está acostumada a estar do lado de alguém da sua idade. Um relacionamento que inicia com uma atração avassaladora e desdobra com sentimentos mais sérios. Os conflitos são divididos naqueles do cotidiano como ciúmes e outros mais sérios que pode provocar a ruptura do o casal está vivenciando.
A escrita de Scott é objetiva e envolvente. Suas cenas são descritivas de maneira moderada e um tanto explícita, o que para mim não incomodou, pois o leitor alvo do gênero já está acostumado. Cenas envolventes, diálogos divertidos, sérios e reflexivos e um desenvolvimento bem construído. Algo a destacar que além da voz narrativa dos protagonistas na trama, também podemos acompanhar as vozes de personagens secundários importantes em momentos propícios, o que traz maior compreensão do que está acontecendo.
Para os fãs de romance calientes este livro é uma ótima recomendação. Uma mulher com atitude e madura, um homem também maduro e tem a ambição de ter o que quer. Duas pessoas que de cara percebemos que muitas faíscas irão sair dali. Esta é a primeira parte do primeiro volume da serie “Provocante”. A segunda parte já foi lançada e estou curioso para acompanhar os desdobramentos da trama de Paola e Pedro.       

Onde comprar?


quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

[RESENHA] Prometida (Perdida #4) de Carina Rissi


Editora: Verus
Páginas: 476
Publicação: 2016

Elisa Clarke é a jovem irmã de Ian Clarke. Sempre foi uma boa moça, seguia com fidelidade as normas sociais, mas começou a achar todos os bailes entediantes e nunca se interessava por ninguém. Até que alguém surgiu em sua vida e, por um descuido, acabou ficando noiva por conta de apenas um beijo. Lucas é um jovem por quem sempre teve uma paixão, mas a forma como tudo aconteceu não a agradou e ela logo verá que ele não é o rapaz que sempre sonhou. 

Lucas logo terá que sair do país e ir para a Europa, estudar medicina. Ele a abandonará e deixará seu coração em pedaços. Elisa logo se verá num situação nova: noiva, solitária e ainda assim achando que isso é o melhor para ela naquele momento. Conseguirá Lucas reconquistá-la? Fantasmas e mágoas do passado voltarão para assombrar o casal e, ao mesmo tempo, os fortalecer.

Sou muito fã da obra da Carina Rissi e da série Perdida, acompanho desde o primeiro volume. Sempre gostei muito de Elisa, uma das personagens que estão desde o primeiro livro e que sempre me cativou. Quando soube que haveria um livro exclusivo para ela fiquei muito contente e ansioso para ler.

Sem dúvidas o ponto de maior destaque da obra é a narrativa da autora. Rissi consegue prender o leitor do início ao fim, fazendo com que não se sinta as palavras. É como se você estivesse vendo um filme dentro da sua cabeça e não lendo parágrafos em um livro. É sensacional. 

O livro é uma continuação direta e paralela dos seus anteriores, inclusive tendo alguns plots que foram tratados em seu antecessor, Destinado. Além, claro, de trazer spoilers dos dois primeiros volumes, Perdida e Encontrada, uma vez que se passa no futuro em relação a eles. Por isso, e até mesmo também para que o entendimento da história seja feito de uma forma completa, recomendo a leitura na sequência correta de lançamento da série.

Confesso que em Prometida, achei alguns plots um pouco extensos e em alguns momentos fiquei um pouo entediado com a leitura. No mais, recomendo muito a quem for fã da série e, como eu, gostar muito de Elisa e queira saber mais sobre o desenrolar da história da personagem.
                                                                     

Onde comprar?

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

[Resenha] Bela Chama (Irmãos Maddox #4) de Jamie McGuire


 
Editora: Verus
Páginas: 336
Publicação: 2016     
 
 
Ela tem tudo o que o dinheiro pode comprar, mas há um enorme vazio quando o assunto são sentimentos. Ellison Edson é uma garota que vive à custa dos pais. Sua vida é banhada em festas, viagens, sexo sem compromisso, etc. O relacionamento com seus pais é um fiasco, a única pessoa que Ellison tem um elo forte é sua irmã. Quando sua vida está no fundo do poço ela deverá caminhar com suas próprias pernas e tomar algumas escolhas. É nesse momento que a garota rebelde conhece Tyler Maddox, um bombeiro bem apessoado e conquistador. Ela não quer sentimentos ao nível de romance. Ele quer ser nojento ao ponto de estar sempre com ela. Em que fim este (não) relacionamento vai parar e durar?
Sou apaixonado pela escrita de Jamie McGuire desde Belo Desastre. Este livro tem um espaço especial no meu coração, pois foi o primeiro New Adult que li, e dali não parei mais. Acompanhar as histórias dos irmãos foi mais divertido ainda e Bela Chama veio com força para fechar a série com honra. Algo neste livro se mostrou bem diferente dos anteriores e foi o que me conquistou.
Ellie é uma moça mimada e que desde criança foi acostumada a ter tudo em suas mãos na hora e do jeito que quisesse. Porém, este seu comportamento se agravou que ela foi ao fundo do poço e dali ela deverá seguir seu caminho sozinha. O relacionamento com seus pais nunca foi bom, apenas sua irmã que apoiava e estava pronta a ajuda-la, porém neste momento nem ela poderá intervir. Ela conhece alguém pronto a romper a parede envolta do seu coração. Ellie não quer relacionamento, pois toda vez que pensa nisso alguém sai ferido, e não é ela. Tyler sentiu uma forte atração por ela, e sabemos que quando um Maddox se apaixona ele não desiste.
"Tyler Maddox sem dúvida tinha partido tantos corações quanto eu. Ele era exatamente o que eu merecia, apesar de eu não ter nenhuma intenção de me aproximar dele."
Este último volume da série trouxe assuntos sérios do cotidiano. Não vou falar que não há melodramas, mas o teor de diversos conflitos inseridos na trama são mais densos e reais comparado aos livros dos outros irmãos. Neste há um alerta sobre vícios de bebidas e drogas, sobre a paixão em uma profissão que para alguns não há valor ou nem é lembrada. Jamie trouxe uma vasta pesquisa sobre o mundo dos bombeiros e apresentou com esmero e naturalidade.
"Naquele momento, Tyler Maddox e seus incêndios preencheram um buraco na minha alma que eu nem sabia que existia."
A escrita de Jamie continua fantástica. Neste último volume reconhecemos muitos eventos que aconteceu no livro anterior, do Taylor. Sua escrita é envolvente, instigante e muito viciante. Os diálogos são bem construídos e objetivos. Fico feliz que a autora fechou a série com chave de ouro.
Para os fãs da série, mergulhe nesta trama e emocione junto com os personagens. Para os fãs de New Adult prepare-se para uma trama envolvente e cativante. Vou sentir saudades dos irmaõs Maddox.       

Onde comprar?


terça-feira, 24 de janeiro de 2017

[Resenha] Uma Dama Imperfeita (Os Preston #2) de Lucy Vargas

Editora: Charme
Páginas: 384
Publicação: 2016  

Resenha de "O Refúgio do Marquês" #1   
 
Bertha Gale é considerada como uma Preston. Ela é acompanhante de Lydia, filha mais velha da família, mas seu cargo não interfere com o carinho que sentem por ela. Ela e Lydia estão prestes a entrar na temporada, para conhecer rapazes que poderão ser seus futuros esposos. Não será fácil para Bertha, pois ela é uma mera acompanhante e há pessoas da alta nobreza que despreza esse tipo de comportamento. Mas Eric Northon, mais conhecido como Lorde Bourne não vê problema nenhum, muito pelo contrário.
Lorde Bourne entrou na temporada com o único objetivo de se casar, pois precisa de uma esposa para conseguir o título de conde e também alguém para ajudar a cuidar de sua sobrinha, considerada como filha. Ele não liga para as regras, e vive sua vida intensamente. Irá aproveitar este tempo ao máximo, mas o casamento tem que ser garantido. Ele se sente atraído por Bertha, mas há diversas barreiras para que este romance engate, como por exemplo a classe nobre achar contra um Lorde se envolver com uma mera funcionária do marquês. Mas será que os sentimentos de ambos poderão ultrapassar e quebrar qualquer regra da sociedade ou será a destruição da reputação de Bertha?
Quando li O Refúgio do Marquês amei a trama e a escrita da autora. Minhas expectativas pra um próximo livro envolvendo a família Preston estavam atíssimas, e confesso que as superou. Lucy conseguiu me conquistar mais uma vez através de uma trama escrita belamente.
Bertha é uma jovem contida e que sabe o seu lugar, mas sua criação sempre foi como membra da família do marquês. Ela foi criada junto com Lydia e nunca se separaram. Ela é uma acompanhante para a filha primogênita do marquês exemplar, do conhecimento das regras de comportamento e até mesmo quando agir em momentos delicados e inesperados.
Ela faz parte do grupo Devon, onde pessoas diferentes criaram uma amizade com direito a diversões e brincadeiras que deixam a sociedade assustada e segundo eles são jovens rebeldes. É de lá que Bertha conhece Eric Bourne, jovem bonito e com um comportamento irreverente. Porém, ela tentará ao máximo impedir das investidas do rapaz para com ela prossiga. Ela jamais poderia se envolver com alguém da alta classe, pois seria um escândalo e seu nome ficaria na boca da sociedade londrina. No entanto, nem sempre o coração age da maneira como queremos e o sentimento entre ambos cresce a cada dia e vivenciarão momentos de muito romance e situações hilárias.

"-Cada vez que eu a encontro, que escuto sua voz e eu finalmente a toco, eu tenho mais certeza de que não há outra para mim. Eu quero um para sempre e vou busca-lo em você."
O segundo volume da série Os Preston nos apresenta um romance de época carregado de momentos engraçados, dramáticos, tensos e com muito romance. Os personagens são empáticos e logo conseguimos nos identificar. Uma forma cômica inserida na trama foi os apelidos criados por alguém com os nomes do grupo Devon. Bertha é uma jovem forte e sua posição inferior aos outros jovens não a impede de criar elos de amizade e até mesmo de conversar com eles por igual, inclusive o grupo não a discrimina, mas ela não ficará livre do preconceito. A família de Eric tem um passado manchado de escândalos, e ele não quer repetir a mesma história. Com sua desenvoltura conquistará Bertha e aos poucos quebrará os muros envoltos do coração da moça.
Há dois pontos que achei interessante no decorrer da história. A primeira é mostrar mais sobre Henrik e Caroline, o casal do livro anterior. O segundo é não só focar em Bertha e Eric, em determinado momento a trama vira um pouco do foco no casal principal e muda para outros, ganhando certa dinâmica.
A escrita de Lucy como sempre é extremamente envolvente, instigante, capaz de transpor o leitor para dentro da história. É nítido o quão grande foi a pesquisa para a construção da trama. No final do livro há uma nota da autora falando um pouco sobre a criação dos personagens, situações vividas por eles e como ela idealizou alguns momentos presentes na trama.
Onde comprar?


sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

[Resenha] A Garota do Calendário (Outubro #10) de Audrey Carlan

     
Editora: Verus
Páginas: 160
Publicação: 2016     
 
Mia está de volta à Califórnia para reencontrar seu namorado, que foi sequestrado no continente asiático enquanto estava filmando seu novo filme. Ela será responsável de ajuda-lo a superar esse momento tão traumático, mas não será nada fácil. Mia precisará de muita paciência, cumplicidade e amor para tira-lo de um lugar distante e doloroso. A moça como está livre da dívida do seu pai irá apresentar um quadro num programa de TV do dr. Drew Hoffman, médico famoso das celebridades. O casal vivenciará momentos intensos e inesquecíveis, e um caminho será aberto para Mia mostrar todos os seus talentos.
A cada livro Mia vem mostrando amadurecimento em diversas situações vividas. Este mês o foco é em seu relacionamento com Wes e sua carreira profissional. Wes ficou com grande trauma após ser resgatado de um ataque terrorista. De volta a sua casa e ao lado do seu amor, terá que lutar para se livrar de imagens e situações dolorosas que vivenciou. Mia por um lado está triste e desesperado para trazê-lo de volta e por outro feliz por se apresentar em um quadro num programa famoso.
Audrey soube trabalhar muito bem essas duas áreas na vida de Mia. Afastou diversos personagens apresentados nos volumes anteriores e reservou esse mês para trazer a luz no romance e na vida profissional de nossa protagonista. Este mês para Mia é uma mescla de sentimentos.
Os fãs podem se preparar que outubro é um mês com bastante romance, drama e momentos felizes.
O próximo mês Mia estará de volta a Nova York a trabalho.

Onde comprar?