quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

[RESENHA] Garota, Interrompida de Susanna Kaysen

Editora: Única
Páginas: 188
Publicação: 2013

Susanna Kaysen é uma jovem de 18 anos que apresenta um comportamento pouco típico para as pessoas de sua idade. Em virtude desse deslocamento social, sua mãe resolve consultá-la com um psicólogo e, no meio de uma dessas sessões, ela tenta cometer suicídio. É nesse momento que percebe-se que há algo incomum em sua mentalidade e suas atitudes para com o mundo. Então, ela resolve se internar numa clínica psiquiátrica, de livre e espontânea vontade, para se tratar. Susanna tem Distúrbio de Personalidade borderline, ou Transtorno de Personalidade Limítrofe, um transtorno mental em que a pessoa tende a agir de forma impulsiva, sem pensar nas consequências e apresenta uma forte instabilidade afetiva. Em Garota, Interrompida ela contará um trecho de sua vida, mostrando como lidou com essa doença e todo o período de dois anos em que ficou internada no Hospital Psiquiátrico McLean. Nesse livro ela falará dos eletrochoques, dos efeitos colaterais dos remédios, da convivência com suas colegas de internação e das amizades feitas.

É bastante interessante acompanhar a evolução na reabilitação da Susanna. Como a história é narrada em primeira pessoa, temos a impressão de que, dentre todas as outras pacientes da clínica, ela não tem nenhum distúrbio ou comportamento que necessite estar lá. A medida que acompanhamos sua evolução, começamos a perceber o que realmente está acontecendo.

O livro é fino e a leitura é rápida, mas não menos intensa. É como se ele fervesse nas suas mãos e você não conseguisse abandonar a leitura em nenhum momento. Mesmo sendo uma auto-biografia, a narrativa tem o tom de ficção, o que torna essa história chocante, pois o tempo todo temos que se lembrar que ela é real. Entre os capítulos tem-se alguns documentos originais da internação da Susanna, o que serve para reforçar um outro ponto de vista, o do lado de fora da história. São relatórios médicos, receitas, descrições do comportamento dela, etc., que servem para mostrar suas tentativas de suicídio, agressões a funcionários e crises que teve já dentro do hospital.

A leitura desse livro me trouxe um misto de emoções constante. Ele é tão cru, tão real que é como se eu me colocasse o tempo todo no lugar da Susanna, me questionando o que era real e o que era fruto da mente humana. É impossível sair desse livro da mesma forma como se entrou. É um texto que mexe com os sentimentos humanos e nos expõe a diferentes situações, que, particularmente, eu não tinha tido contato anteriormente.

A adaptação para o cinema foi muito bem feita, sobretudo nas cenas em que demonstra a mente da Susanna. O recurso de intercalar o passado e o presente, sem evidenciar isso, demonstrou bem como funciona a mente de quem tem o distúrbio de borderline.

Recomendo a todos que queiram uma leitura impactante, forte e reflexiva.

24 comentários:

  1. Que bom que você gostou!! Eu adorei este livro!!
    Muito visceral mesmo, e sua resenha passou justamente isso. Perfeita!!
    A edição também ficou ótima né? Desde a capa. E aqueles formulários de atendimento, amei!!!

    Bjkas

    Lelê Tapias
    http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ale!

      A edição desse livro tá linda demais, eu adorei. Muito caprichada.

      Bjosss

      Excluir
  2. Ainda não li esse livro, mas gostei muito do enredo. Gosto de livros com essa temática, com o protagonista sofrendo com algum problema psicológico. Ótima resenha. Abraço!
    http://ymaia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ygo!

      Esse livro trabalha bem o psicológico dos personagens, vale muito a pena a leitura.

      Abraços!

      Excluir
  3. Não vi o filme, não li o livro. Mas muita gente fala muito sobre esse livro, mas sempre fiquei com o pé atrás por ser uma auto-biografia, mas que bom que a narrativa tem o tom de ficção. Eu tinha vontade, agora tenho ainda mais. A história é bem interessante, não tem como não ficar curioso. Quero lê-lo assim que possível!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kamilla!

      Leia pq esse livro é muito bom, recomendo!

      Bjosss

      Excluir
  4. Eu não sabia que esse livro tinha sido adaptado ao cinema, parece realmente muito intenso e interessante a representação da mente humana através dessa garota com transtorno mental. Amei a dica:)
    Bjs..
    anna-gabby.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Karolina!

      Foi adaptado e o filme ficou muito bom. Recomendo assisti-lo!

      Bjosss

      Excluir
  5. Sou apaixonada por livros com um enredo verdadeiro, em que o autor da ênfase na realidade, mesmo que seja cruel. Depois de ler tantos livros de fantasia, em que acontecem coisas irreais, e bom ser sacudida pela realidade de vez em quando....
    Garota Interrompida parece ser exatamente o livro que irei gostar de ler!!!
    pamela.simoes196@gmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Pamela!

      Você definiu bem o livro, mesmo sem ter lido ele! É exatamente assim, um soco de realidade na nossa cara.

      Adorei seu comentário!

      Bjosss

      Excluir
  6. Li esse livro em dezembro e assim como você, eu amei! Eu tinha assistido a adaptação alguns anos atrás, mas o livro sempre consegue superar, né? A história é tão perturbadora que por várias vezes me peguei pensando "isso é mesmo real?". Como você disse é um livro bem cru mesmo. Sua resenha transmitiu a mesma coisa que senti quando li. Adorei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mallu!

      Que legal que a resenha transmitiu o que vc sentiu, fiquei feliz o/

      É uma história bem forte mesmo e eu me perguntava o tempo todo se aquilo era real.

      Bjosss

      Excluir
  7. Ganhei o livro mas ainda não o li, o que deve acontecer só no mês que vem. O filme eu não vi inteiro, por isso a leitura será uma surpresa.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rose!

      Recomendo ler antes e ver o filme.

      Bjosss

      Excluir
  8. Marcos, eu adorei o livro, tive as mesmas sensações que você. Em algumas partes ele serviu como um choque de realidade para mim, porque às vezes a gente se prende tanto no nosso mundo que esquece dos outros.
    A leitura também me causou alguns incômodos, acho que por ser muito crua (como você disse), me levou a questionar muitas coisas.
    Eu ainda não assisti o filme, vale a pena?
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ananda, sua linda! <3

      Esse livro modificou algumas coisas da minha visão de mundo. Ele incomoda mesmo, talvez pra que a gente se mexa, se sinta tentado a pensar diferente.

      Vale muito a pena ver o filme. Eles dão uma romanceada, mas recomendo muito.

      Bjosssssss

      Excluir
  9. Oi Marcos, ainda não li o livro, mas pelo o que eu vi através da resenha parece um assunto bem interessante! Abraço,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ycaro!

      Leia o livro pq é muito bom!

      Abraços

      Excluir
  10. Auto-biografias não são meu forte, mas quando elas vem com esse toquezinho de ficção, já olho com outros olhos. Me parece que a narrativa é bem densa. Fiquei bem curioso pra ler. E não sabia que ele tinha uma adaptação cinematográfica. Fiquei com vontade de assistir também.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nardonio!

      Eu adoro auto-biografias, sou suspeito pra falar, mas esse livro é realmente espetacular. É bem denso, bem cru. Acho que você iria gostar da leitura. =)

      Abraços!!

      Excluir
  11. Oi Marcos, tudo bem?
    Ainda não li esse livro, na verdade só me despertou a curiosidade em ler depois que vi sua resenha. Parabéns.
    www.dnabookz.com

    ResponderExcluir
  12. Muito bom o comentário sobre o livro, entretanto,gostaria de dar uma dica para aqueles que gostam de cultura e viagem para Campos do Jordão realmente a estância é tudo de bom e sobre a The Writer's House ,a casa do escritor é algo inovador em termos de Brasil e a escolha de Campos do Jordão para sediar este projeto inspirado num conceito igual americano não poderia ser diferente,pois,a região está localizada entre diversas cidades literárias como Taubaté ,a capital da literatura infantil e a cidade de Monteiro Lobato.Estive na Hub City ,e sei como esse projeto literário foi fundamental para a cidade Spartanburg, SC. Em maio de 1995, três escritores se conheceram em uma cafeteria com uma idéia para um livro, uma antologia sobre a experiência de viver em Spartanburg, SC. Desde então, o Writers Project Hub City já publicou mais de 65 títulos e 500 escritores, estabeleceu uma livraria independente, e desde a educação escrita criativa para milhares de pessoas.Parabéns para o Curador brasileiro da The Writer's House ,a casa do escritor em Campos do Jordão,único projeto temático semelhante em nosso país.

    ResponderExcluir
  13. oi Marcos Eu sou apaixonada por livros e eu sabia que esse livro tinha sido adaptado do cinema parece realmete intenso e interessante

    ResponderExcluir