quarta-feira, 3 de setembro de 2014

[RESENHA] 12 Anos de Escravidão de Solomon Northup

Editora: Seoman
Páginas: 230
Publicação: 2014

Solicitei esse livro para ler por conta do filme, que ganhou o Oscar de Melhor Filme desse ano. Confesso que, mesmo sendo um clássico norte-americano, não o conhecia antes.

Solomon Northup era um homem livre, nascido em Nova York. Pai de família e músico, ao receber uma tentadora proposta de fazer parte da trupe de um circo em Washington D. C., em 1841, sua vida foi transformada para sempre. A tal proposta na verdade se tratava de uma emboscada. Northup foi drogado e, ao acordar, encontrava-se em um quarto escuro, sem saber a sua localização. Depois de muito apanhar até admitir que não mais era um homem livre, e sim que tinha nascido escravo, ele foi vendido e passou a trabalhar em fazendas em cativeiro, na maior parte do tempo em lavouras de cana-de-açúcar e de algodão.

Mesmo sofrendo uma enorme injustiça como essa, Northup ainda nutria esperanças de um dia rever sua família e retomar a sua liberdade. Durante os 12 anos de escravidão ele sofreu de perto todos os resultados da ignorância e da barbaridade humana existente nesse regime. Quando finalmente conseguiu provar que era um homem livre, resolveu registrar sua história para que todos soubessem o que ele tinha passado e como era a escravidão sob o ponto de vista de um escravo que sentiu na pele tudo isso.

Por ser uma auto-biografia, a maior parte do texto é focada nos parágrafos, o que faz a leitura ficar um pouco lenta. A narrativa é forte, não há floreios ou amenidades. Todos os castigos pelos quais Solomon passou, ou teve que fazer em alguém, são descritos com palavras de quem sentiu na pele tudo. É impossível não ser tocado com tudo isso, não ficar emocionado com tamanha atrocidade. As condições de vida, o modo como os escravos eram tratados, enfim, tudo pelo qual Northup teve de passar para retomar sua liberdade.

Confesso que demorei três dias para conseguir finalizar essa resenha, o que não é normal para mim. Toda vez que vinha para o notebook começar a escrever, sentia uma espécie de barreira, que não me permitia expressar tudo o que senti com o livro. Somente ontem (sábado, 30 de agosto) consegui sentir a dimensão que esse livro tem e de como a escravidão tinha na vida das pessoas. Quando estudamos esse tema no colégio ou vemos alguma novela ou filme com essa temática já é algo muito chocante e revoltante, mas quando lemos as palavras de quem realmente passou por aquilo, tudo muda de contexto. É inaceitável aceitarmos que seres humanos viviam nessa condição e que, ainda hoje, há trabalho escravo ilegal no mundo. Ou, tão pior quanto, ainda haja racismo, diferenciação pela cor da pele, herança desse sistema absurdo que muitos ainda julgam como correto. Desculpem pelo desabafo no meio da resenha, mas eu precisava colocar pra fora todos os sentimentos que eu tenho com esse absurdo da história da humanidade.

Sobre a adaptação para o cinema, achei bem fiel. Salvo pequenas modificações no enredo e em algumas cenas, todo o resto foi adaptado com perfeição, mantendo inclusive as falas originais do livro. Mesmo não gostando da participação de Brad Pitt no filme, achando-a completamente desnecessária, gostei da história e me emocionei bastante. Sem dúvida foi um filme merecedor do Oscar.

Recomendo a todos, pois esse é um daqueles livros cuja mensagem todos deveriam ler.

19 comentários:

  1. Oi, Marcos! Não vi o filme nem li o livro, apesar de morrer de vontade. Adorei a sua resenha. Parece ser um livro muito intenso :)

    Beijos
    Nati

    www.meninadelivro.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi Marcos, eu tenho muita vontade de ler esse livro, ele parece ser bom, mas imagino que a leitura é lenta, até por causa do tema mesmo, creio que seja muito tenso, eu ainda não vi ao filme, mas pretendo ver.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  3. Necessito. Não assisti ao filme ainda. Assisti todos os outros indicados ao Oscar, menos esse, justamente por querer ler o livro primeiro. E pela resenha, que você disse que o filme é bem fiel ao livro, certeza que vou gostar.

    Beijos.

    -A

    ResponderExcluir
  4. Conhecia o filme,por causa do oscar mas não tinha nem ideia que era um livro muito menos uma biografia,agora fiquei até espantada porque ouvi relatos sobre as fortes cenas de violência do filme e ficar sabendo que uma pessoa realmente passou por isso e ainda teve a coragem de relatar isso em um livro é algo que não tem nem como falar

    ResponderExcluir
  5. Oi Marcos, tudo bom?
    Não vou te dizer palavras bonitas sobre o livro pela sua ótima resenha, por que não seria sincera, do mesmo jeito que você disse que demorou para ler o livro, eu confesso que esse tipo de livro não me faria ler em 3 dias, talvez em um mês ou nem chegasse a terminar, sou mais objetiva, leio o que mais gosto e que sei que irei terminar kkkkk
    A história e muito triste, mesmo o filme ainda não consegui ver. Mas mesmo sendo difícil para você fez um bom trabalho na resenha viu!!
    Pelo menos o livro e o filme não deixam a desejar né? Se um dia tiver coragem de ver o filme ou o livro te aviso.
    Bjs*-*
    Poliana Araújo
    TerritoriodasGarotas
    twitter

    ResponderExcluir
  6. Marco, eu apenas assisti ao filme e despertou esse mesmo sentimento em mim. De perceber mais a fundo como foi horrível. E pior...saber que ainda hoje em dia há pessoas passando por isso...o mundo ainda tem escravos e nós queremos acreditar que ñ...
    Outro filme (ñ sei se tem livro) muito bom, que retrata o tema, é AMISTAD.
    Recomendo. Adorei saber que tem livro, se possível, quero ler.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi Marcos, tudo bem? Gostei bastante da sua resenha, as vezes é difícil falar de um livro mesmo, principalmente quando nos impacta demais e sendo auto-biográfico eu acho que ainda é mais difícil.

    Nunca li o livro e nem vi o filme, tenho vontade de ler e conhecer a estória, mas não sei se conseguiria suportar ler tanta crueldade e sabendo que foi uma estória real e pelas mãos de quem sofreu tudo isso... e também acho um absurdo tudo isso. E o pior é que mesmo depois de tanto tempo ainda vemos absurdos como esse.

    Bom, é isso... gostei bastante da sua resenha.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  8. Oi Marcos, tudo bem ?
    Não conhecia o livro, e muito menos o filme!
    E sim, também acho bárbaro o que faziam e o que ainda fazem com os humanos, e pior por eles próprios .. O livro não faz meu tipo, porque eu acho meio forte, e acabo ficando revoltada quando leio livros assim !
    Mas acho que é uma verdadeira força de vontade a pessoa passar por isso, de ser enganado, torturado, ser tratado como escravo e ainda ter esperança ?
    Bem, o livro parece ser bem interessante, mas eu não teria coragem pra ler!
    Gostei da resenha, acho que ela mostrou bem do que o livro realmente trata !!
    ;*

    ResponderExcluir
  9. Oi Marcos, eu ainda não assistir o filme, mas me disseram que é muito bom, e o livro eu também não li, mas não sei se o lerei, pois é um auto-biografia e tem partes muito sofridas que eu não gosto de ver... Mas ficou super legal ele...

    Abçs :)

    ResponderExcluir
  10. Oi Marcus!
    Tbm conhecia o livro só porque ganhou o oscar, mas ainda não tive oportunidade de lê-lo e nem de ver o filme. Confesso que não faz o meu gênero de livro, e por isso não o leria, com quero muito assistir ao filme pelo menos, pois deve estar repleto de emoção mesmo. Não sabia que o Brad Pitt estava no filme rsrs
    Bjs

    ResponderExcluir
  11. Ainda não tive oportunidade de ler o livro e nem de ver o filme. Ambos me interessam e muito.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  12. Não li esse livro ainda, mas assisti ao filme e posso dizer que saí me sentindo super mal (e olha que o livro deve ser bem mais cruel). Concordo com você em relação ao desabafo. É um absurdo que isso ainda aconteça até hoje. Só digo que quero muito ler, apesar de estar longe de ser o tipo de livro que gosto de ler).

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  13. Ainda não assisti o filme, mas sinto mais vontade de ler o livro.
    Apesar que acho que vou chorar horrores com a leitura.
    Acho que nunca deixarei de me abalar com a crueldade humana que quando transcrita para os livros mostra que a realidade pode ser mais assustadora que qualquer ficção.

    ♫ Conversas de Alcova ♫

    ResponderExcluir
  14. Um tema bem profundo e até mesmo contemporâneo. Em quantos países devem existir outras formas de escravidão tão ou mais cruel do que as do passado. Leitura boa para mergulhar no passado e refletir sobre o presente.

    ResponderExcluir
  15. Eu n sabia q o filme era baseado em um livro..=)
    A-M-O biografias, e qnd são auto-biografias me encanto ainda mais!!
    Por ser um tema mto forte, realmente o livro fica mais chocante e triste.
    É difícil entender q td isso foi real...
    Pretendo ler o livro e depois poder ver o filme, ainda mais com vc dizendo o filme foi fiel ao livro.

    ResponderExcluir
  16. Confesso que não tinha muito interesse, mesmo vendo muitas resenhas positivas nunca me interessei, mas sua resenha fez eu mudar de ideia, adoro livros que Nos fazem sentir na pele o relato do autor ...

    ResponderExcluir
  17. Gosto muito desses livros que nos fazem presenciar tal atos e se por no papel do personagem/autor.É mesmo impossível não se emocionar e sentir raiva dessas situações tão brutais.Ainda não vi o filme mas já que é bem fiel ao livro vou tentar fazer as duas coisas.

    ResponderExcluir
  18. fiquei sabendo do filme , mais nao tenho interesse ao ler o livro pois nao curto auto-biografia e receio que seja um livro do gênero "Forte " quando o tema é escravidao ! e sinto que nao vou gostar de maneira alguma, quem sabe o filme eu assista !

    ResponderExcluir
  19. Olá Marcos!!Com certeza este é um livro que pretendo realizar a leitura, pois quando o filme fui lançado fiz algo que nunca tinha feito, vi o filme antes de ler o livro, me emocionei demais com a luta dele, e com certeza pretendo ler o livro também. Ótima resenha =)

    ResponderExcluir