segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

[RESENHA] Coração de Mãe de Jodi Picoult



Editora: Verus
Páginas: 471
Publicação: 2014

Paige é uma jovem de 18 anos que mora em Chicago e que foi criada apenas pelo seu pai. Tendo apenas memórias curtas de sua mãe, de quando ainda era muito pequena, ela decide sair de casa em busca de seu maior sonho da vida: fazer faculdade de artes. Porém, ao se ver sozinha e tendo que se sustentar, ela consegue um emprego de garçonete num bar. Lá ela desenvolverá seus dotes artísticos fazendo desenhos dos clientes e ganhando um dinheiro extra com isso. É quando ela conhecerá Nicholas, um ambicioso estudante de medicina que logo passará de cliente a namorado dela.

Nicholas é um jovem que cresceu rodeado de luxo. Filho único de uma família extremamente rica, ele cursa medicina visando ganhar muito dinheiro e ser muito bem sucedido na vida. Mas, quando conhece Paige se apaixona perdidamente por ela e eles acabam se casando. Seus pais logo rejeitam essa união, alegando que ela não é mulher para seu filho e ambos começam a morar juntos, dividindo as dívidas.

Quando tudo parece se acertar e Paige resolve retomar seu sonho, ela engravida e entra numa espiral de sentimentos contraditórios. Por ser uma gravidez não planejada, que chegou em um momento "errado" para o casal, ela se vê sobrecarregada tendo que cuidar do filho e abdicar de tudo em prol dele. Logo ela desenvolverá depressão pós-parto e seu casamento com Nicholas irá de mal a pior. Fantasmas de seu passado e a ausência de uma mãe durante a sua infância a fará questionar se ela mesma está pronta para a maternidade. Até que ela toma uma decisão drástica que terá consequências muito fortes para todos os que a rodeiam.

Coração de Mãe é o primeiro livro que leio da Jodi Picoult. Sempre tive muita curiosidade em ler os livros dessa autora, uma vez que eles são muito elogiados por blogueiros com os quais tenho gosto parecido. Porém, não sei se deveria ter começado por esse título...

Não consegui me conectar com a história em nenhum momento. Os personagens principais não tem carisma e desde o começo o leitor consegue perceber a falta de química entre o casal. Paige é muito egocêntrica em vários momentos e comete erros imperdoáveis como mãe. A decisão que ela toma em determinado momento da narrativa é completamente inconsequente e coloca em risco a vida de seu próprio filho. Isso me fez me afastar cada vez mais da personagem e não criar nenhum tipo de afeição pelo seu drama. Nicholas, por sua vez, também é um personagem pouco carismático. Sempre tendo atitudes tão egoístas quanto, ele se demonstra o tempo todo como um garoto mimado que não consegue tomar as atitudes por si só.

Entendo que a autora teve a proposta de desconstruir as personalidades dos protagonistas tentando trabalhar as relações deles com o filho, mas não achei que isso ficou claro no texto. Os personagens tem seus psicológicos bem construídos, mas seus papéis oscilam muito ao longo da narrativa. Ambos em determinado momento são muito apaixonados, depois egoístas, pensando apenas em suas carreiras, depois se alternam entre vítima e desertor. Isso tudo ficou extremamente confuso. A aceitação dos erros,o perdão e a maneira como a normalidade entra novamente na história se deu de maneira muito rápida, sem um bom trabalho de tempo em cima disso. O final foi frustrante, sem uma resolução para o drama que tomou conta das últimas páginas.

O ponto alto do livro é, sem dúvidas, a narrativa da Jodi Picoult. Embora a história tenha sido fraca a meu ver, a escrita da autora me ganhou completamente. Ela consegue fazer com que o leitor fique intrigado com o que vai acontecer. Os diálogos e as descrições são bem dosadas, a maneira como as cenas são justapostas foi incrível e a inserções breves de flashbacks ao longo da linha principal foi excelente. Os capítulos são alternados entre a visão de Paige e Nicholas, tendo primeira pessoa nos dela e terceira nos dele. Isso trouxe um bom dinamismo à leitura e demonstrou o quão a autora pesquisou sobre os temas tratado, sobretudo às técnicas médicas usadas por Nicholas.

Mesmo com todos os problemas listados, quero muito dar uma nova chance à autora e ler outros livros com outras temáticas que ela escreveu. Talvez esse não tenha sido o livro ideal para eu começar a lê-la. De qualquer forma, recomendo a quem gosta de romances com dramas familiares.                                                                     


Onde comprar?

2 comentários:

  1. A garota parece uma fofa, logo de início. A vida dela parece ser bem triste e ainda mais sem as memórias. Acho lindo quem faz faculdade e coisas relacionadas com arte. O amor dos dois parecem ser proibidos, além de rejeições da família dos dois. Fiquei com medo um pouco da leitura. Essa coisa de mãe e depressão, é uma coisa complicada. Nunca li nada da autora. Uma pena a falta de química e também provável a falta de empatia por eles. É sempre bom dar mais chances para os autores.
    Abraços Marcos,
    ThayQ.

    ResponderExcluir
  2. Oi Luke :}

    Sabe, já não tinha dado muita bola pro livro.. Depois que li sua resenha me desinteressei mais ainda.
    Gostei desse romance que tem na história, mas sabe quando o casal parece que não vai te convencer? Foi assim que me senti ..
    Sim, dê outra chance pra autora e venha nos contar se a leitura vai ser melhor que essa !
    Beijos

    ResponderExcluir