segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

[RESENHA] Os Três de Sarah Lotz


Editora: Arqueiro
Páginas: 393
Publicação: 2014

Numa quinta-feira quatro aviões caem, ao mesmo tempo, em quatro locais, ao redor do mundo: o Monte Fuji no Japão, na Califórnia, nos Estados Unidos, no meio de uma comunidade pobre da África do Sul e numa praia do litoral de Portugal. Como se não bastasse tal coincidência trágica, em cada um existiu apenas um sobrevivente, sendo três crianças e uma jovem, Pamela May Donald, que manda uma mensagem misteriosa a partir de seu celular: "Eles estão aqui.(...) Vigiem o menino, estão vindo me pegar agora. Vamos todos embora logo, todos nós..." A partir de então, um clima de mistério toma conta do mundo. O que está por trás de tais acidentes? Qual o motivo por trás dessa mensagem deixada por Pamela? Porque ela morreu logo após deixar esse recado?

Pamela May é uma jovem cristã, evangélica, que sempre foi muito temente a Deus e sempre ajudou em sua congregação de origem. Ela tinha ido ao Japão participar de uma conferência cristã. Na volta, acabou pegando o voo que cairia dali a algumas horas. Pouco tempo depois de arremeter, o avião começa a apresentar turbulências e um longo processo de queda é iniciado. Pamela narra cada passo do que aconteceu antes de cair e ficar dentre os destroços e cadáveres. Lá, ela vê um garoto se aproximando. Junto a ele, aparentemente, existem mais pessoas que vem buscá-la. Logo após isso, Pamela grava uma mensagem na caixa de correio do Pastor de sua congregação. Em seguida, não se tem mais nenhuma informação sobre ela.

Os Três é um livro de suspense escrito por Sarah Lotz. A maneira como o livro foi organizada foi algo diferente de tudo o que já tinha lido. A autora conta a história através de um livro, Quinta-Feira Negra - Da Queda à Conspiração, escrito por Elspeth Martins. Este livro é uma espécie de compilação de reportagens, entrevistas, textos, memórias e informações acerca dos envolvidos no acidente e de seus familiares e amigos. É, literalmente, como se estivéssemos lendo um livro dentro de outro livro. A partir disso teremos acesso a todos os pontos de vista de todas as histórias envolvendo os quatro aviões.

Achei o uso desse recurso muito arriscado. Por mais que isso permitisse um maior aprofundamento de vários aspectos da história, usar de uma narrativa jornalística limita, e muito, o aspecto ficcional do livro, soando este, por várias vezes, deslocado do texto como um todo. Teremos a voz de vários personagens que lidaram diretamente com os acidentes, desde o socorrista que primeiro chegou ao local, até o tio de uma das crianças sobreviventes que tem agora a sua custódia e relata como é o dia a dia com ela. Isso é bom, mas o uso de um texto jornalístico para isso torna a leitura completamente chata e parada. É como se estivéssemos assistindo um documentário sobre o assunto e não a história em si.

Gostei da forma como a temática dos sobreviventes da queda foi abordada. Percebe-se bem que a autora fez um bom trabalho psicológico não somente para construir os personagens, com suas mentes pós-acidente/morte de entes queridos, mas também para trabalhar o psicológico coletivo ou como a sociedade em geral reage a situações como essa. Por exemplo, a criação de teorias da conspiração, as seitas religiosas criadas ao redor dos sobreviventes, entre outros elementos que exemplificam isto.

A revelação por trás do mistério principal não me agradou. A autora espirra muito sobre ele ao longo do livro e, além de se tornar previsível, ele acabou sendo surreal demais, até mesmo desnecessário.

Vale destacar o trabalho gráfico do exterior do livro. A capa ficou muito bonita e o corte pintado de preto deu um belo efeito no tomo.

Recomendo a todos que gostam de suspense mais leve, sem muita ação. Quando for ler esse livro é bom ir com expectativas baixas quanto ao mistério principal.
                                                                     

Onde comprar?

4 comentários:

  1. esse livro foi uma surpresa esse ano, andei procurando algumas opiniões pq inicialmente algumas pessoas q leram me disseram q odiaram e eu achei a capa além de linda, me passava a impressão (junto com a propria história) de q a história era outra coisa...
    não achei q o fim tenha ficado previsivel, achei q por ela dar margem a algumas possibilidades ela fosse fechar em alguma delas, mas não esperava de fato que ela fizesse aquele final, também não gostei dele

    ResponderExcluir
  2. Sempre babei nessa capa. Parece incrível e também, é a primeira resenha que vejo do livro. Fiquei curiosa quanto essa acidente e também as mensagens enviadas. E também depois sobre o sumiço dela, que é intrigante. Suspense é um de meus gêneros favoritos, acho que irei gostar mesmo. Na maioria das vezes, eu escolho um livro pela capa e acabo gostando. E sobre o trabalho psicológico citado... adorei, a autora parece ótima na escrita e também com os personagens. Uma pena o mistério não ter lhe agradado tanto.
    Abraços Marcos,
    ThayQ.
    http://leituras-insanas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito desse livro, curto muito um suspense, achei a história bem interessante.

    ResponderExcluir
  4. Ei Marcos! Tudo bem?
    Sério que o livro é tão leve assim? Juro que eu esperava um suspense enoorme, e "aquele" mistério revelado no final..
    Confesso que suspenses que envolvem crianças me assustam mais que o normal, e sim, apesar da curiosidade, morro de medo de ler o livro, rsrs!
    Pretendo comprá-lo o ano que vem, e espero gostar da história ..
    Bjs !

    ResponderExcluir