quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

[RESENHA] Destrua-me (Wrecked #1) de J. L. Mac



Editora: Charme
Páginas: 220
Publicação: 2015


Josephine perdeu os pais bem nova, cresceu em lares adotivos e orfanatos com muita dificuldade e traumas. Após fugir de um dos orfanatos ela viveu muitos anos na rua até encontrar um a livraria de Sutton, um senhor que acolheu e deu a oportunidade para trabalhar. Desde então ela vive mergulhada nos livros e histórias. Até que um dia após correr atrás de um ladrão ela esbarra em Damon, um homem que no mesmo instante é marcante. Esse encontro criou uma ligação de atração e por desconfiar que já se conhecem de algum lugar. Damon tem seus segredos e Josephine sua dificuldade de embarcar em relacionamentos que alimentam sentimentos profundos.

Quando terminei Destrua-me conclui que foi uma leitura de amor e ódio. É uma história que prende, mas também é uma história que me incomodou com relação aos personagens. Uma premissa instigante que consegue atrair o leitor do começo ao fim, sem desistir da leitura, mesmo se sentir alguns incômodos que tive.

Jo, como ela gosta de ser chamada é uma mulher independente desde da sua adolescência. Tem uma autoestima baixa, mas não alimenta a vitimização em sua vida. Ela expõe a sua realidade sem se fazer de coitada, o que ganhou muitos pontos comigo. Damon é um homem enigmático no primeiro instante, pode-se dizer que ele é o mais intenso e que consegue se expressar seus sentimentos nessa relação, apesar de ser um tanto autoritário, prepotente e arrogante. 

No prólogo logo pesquei algo, mas pensei que a autora poderia me surpreender. No entanto, ela fez aquilo mesmo que já imaginava. O interessante de quem também descobrir de cara ficará curioso sobre o que está por detrás disso. Mesmo sendo previsível, a curiosidade ainda continua.

Tenho sérios problemas com amores instantâneos. Sabe aquele casal que se vê pela primeira vez e logo no dia seguinte faz juras de amor? Esse tipo de relação que me incomoda bastante, e em Destrua-me o amor ‘miojo’ (como costumo falar) está presente. Mas ao passar de alguns bons dias comecei a ficar convencido que a relação deles é real e consistente. Outro ponto que me incomodou foi algumas atitudes autoritárias de Damon, não sei por que já estou desgastado desse tipo de atitude em alguns livros ou se é a maneira da escrita que me fez não gostar. É compreensível o cuidado dele com ela, mas acho que limites devem ser colocados em todas as relações.

A escrita de Mac é fluida e bem envolvente. As cenas calientes são bem detalhadas e construídas. Os diálogos não são mecânicos e vem em alguns vem com um humor, mesmo sendo que os personagens carregam uma grande carga de drama. O livro é bem tocante, pois a história de Jo é comovente e a compaixão ao ler sobre sua vida é inevitável ao ponto de ficar com vontade abraçá-la.

Esse livro é recomendado para os fãs do gênero erótico. Com uma história de drama, uma escrita fluida, uma leitura rápida e um final que irá fazer você ficar ansioso para o segundo volume (o famoso e temido Cliffhanger está presente) que a editora já comunicou que está em tradução e a previsão ainda é para esse semestre.

"Eu não me sinto tão sozinha com ele. Sinto como eu pertencesse a algum lugar, com alguém. E isso é uma revelação na droga do meu mundo"
                                                                     

Onde comprar?

Um comentário:

  1. Parece ser uma história bacana, mas não é o tipo de livro que desejo loucamente ler no momento, entende?
    Bjs

    ResponderExcluir