quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

[RESENHA] O Maravilhoso Mágico de Oz e A Maravilhosa Terra de Oz (Mundo de Oz #1 e #2) L. Frank Baum



Editora: Vermelho Marinho
Páginas: 205 e 235
Publicação:2014

A primeira vez que li O Mágico de Oz fiquei completamente encantado com a história e ela logo se tornou meu clássico infantil favorito. Sempre soube das adaptações para o cinema, principalmente a de 1939, mas nunca tinha assistido a nenhuma delas. Quando uma nova adaptação foi lançada,em 2013 pela Disney, eu descobri que O Mágico de Oz era uma série de livros e não um livro único. Fiquei surpreendido e quando fui buscar as edições em português, descobri que, à exceção do primeiro livro, elas nunca tinham sido traduzidas integralmente no Brasil. Posteriormente, em 2014, a Vermelho Marinho iniciou um projeto de traduzir os 14 títulos. Os dois exemplares resenhados aqui são os primeiros lançados. O terceiro, Ozma de Oz, também já foi lançado.

A história de O Maravilhoso Mágico de Oz já é bastante conhecida, mas não custa nada relembrá-la para quem ainda não conhece: Dorothy é uma menina que mora com os avós no interior do estado do Kansas, nos Estados Unidos. Um dia, durante um grande furacão que se aproxima, a fazenda onde mora acaba voando e caindo em um local completamente fantástico. Dorothy, junto com seu fiel escudeiro, seu cãozinho Totó, descobre que está em Oz e que a casa onde estava caiu em cima da Bruxa Má do Leste. Por isso, os Muchkins, como são chamados a população do local, lhe são muito gratos. Ao conversar com a Bruxa Boa do Norte, ela descobre que tem a missão de matar a Bruxa Má do Oeste para que todo o território fique em paz. Para isso ela terá que encontrar com Oz, o mágico poderoso que governa o local. Seguindo a estrada de tijolos amarelos, Dorothy calçará seus sapatos prateados e encontrará em seu caminho amigos que lhe ajudarão na sua jornada: um Espantalho que  quer ser inteligente e ganhar um cérebro, um Homem-de-Lata que almeja ter um coração  e um Leão covarde que deseja ter coragem.

Eu sou completamente apaixonado por esse livro, então meus excessos de elogios serão suspeitos rs. Mas ele é de uma leitura incrível. A maneira como o autor aborda os sentimentos dos personagens e trabalha isso numa dimensão incrível é sensacional. Além disso, todo o universo construído é esplendido. As diferenças entre cada povo de cada região de Oz, a junção de todos eles na Cidade das Esmeraldas, os conceitos envolvidos em cada elemento utilizado na narrativa, enfim, tudo muito bem escrito.

No segundo livro da série, temos a história de Tip, um jovem órfão que vive com uma bruxa má e fedorenta desde que seus pais morreram. Mombi, como é chamada, sempre usou poderes sobrenaturais para conseguir o que quer. Um belo dia, ele resolve criar um boneco feito com gravetos, uma abóbora e roupas velhas, para assustá-la. Porém, ao perceber a travessura, Mombi encanta o boneco, lhe dando vida. Além disso, a bruxa amaldiçoa os dois e promete matá-los. Eles partem para  Cidade das Esmeraldas, afim de que Oz os ajude. Lá ele encontra um velho conhecido governando o local. O país está em guerra e logo os dois se unirão a velhos e novos personagens para tentar restaurar a paz e destruir Mombi de vez.

Também gostei bastante da história desse segundo livro. A aventura é similar a do primeiro, mas os conflitos são outros e tomam proporções muito maiores. O uso de personagens do primeiro livro (não direi quais para não dar spoiler) foi algo muito legal. Poder rever seus personagens favoritos da série é sempre sensacional. Gostei muito do desfecho do protagonista e da cena de sua redescoberta. Incrível como a narrativa do Baum não muda e mantém a leitura deliciosa.

As capas de cada livro tem a cor predominante da região em que a maior parte da história se passa. Por exemplo, o primeiro livro tem a cor verde por se passar na Cidade das Esmeraldas, onde tudo é verde (por conta dos óculos usados por quem lá entra) e o segundo tem a cor roxa por se passar no domínio dos Gillikins, no norte. Ambos os livros apresentam ilustrações com traços de mangá, feitas por Dandi. Elas casam bem com o texto e formam uma boa interação.




Nem preciso dizer que recomendo muitíssimo essa série. Se você nunca leu Oz, não sabe o que está perdendo. E se leu o primeiro livro e gostou, se joga na continuação pois Oz nunca é demais! =D
                                                                     

Onde comprar?

Um comentário:

  1. Status: desejando loucamente esses livros!
    Gente, que capas perfeitas. Parece ser uma boa (perfeita) edição nova do nosso queridinho clássico! Adorei!

    ResponderExcluir