sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

[RESENHA] O Senhor Agora Vai Mudar de Corpo de Raimundo Carrero



Editora: Grupo Editorial Record
Páginas: 110
Publicação: 2015

Raimundo Carrero é um escritor pernambucano que sofreu um AVC (Acidente Vascular Cerebral) em 2010 que comprometeu o lado esquerdo de seu corpo. Após sair dessa experiência, uma dúvida o sondava: conseguiria ele voltar a escrever? Ao retomar as suas atividades, lhe veio a ideia de escrever um livro que abordasse tudo o que lhe aconteceu. Sentindo dificuldade em usar a primeira pessoa e fazer do texto uma autobiografia, Carrero decidiu colocar a prosa em terceira visão e criou o personagem do Escritor para contar a sua própria história.

Escritor é, nada mais, que uma forma que Carrero achou para se expressar. Ele vive no Recife com sua esposa, médica, e ao acordar numa manhã começa a sentir sintomas de um AVC. A partir daí mergulha num turbilhão de sensações novas que o levam a sentir medo, a enaltecer a fé, a ter perspectivas e visões de coisas e situações do cotidiano como jamais teve. O medo da morte, a valorização da vida, a alma-arte, o ser político.

Confesso que antes de ler o livro tive um certo receio de não conseguir entendê-lo, em virtude desse ter sido escrito por um dos mais renomados escritores pernambucanos da atualidade. Porém, ao começar a leitura, percebi o quão fluída e deliciosa ela me foi. Carrero usa de metáforas constantemente para expressar o que passou durante o período que abrange desde os primeiros sinais do derrame até a sua posterior recuperação. O trabalho em cima do conceito de corpo e de suas relações com elementos da vida foi algo interessantíssimo. A abordagem da muda, da metamorfose, dos sucessivos ciclos pelos quais passamos, de como nos adaptamos às mudanças, como reagimos a elas, como temos nossa maleabilidade. Por outro lado a alma, que permanece, que cresce, que evolui. A fé, a arte, a política, enfim, todos os assuntos que abordamos ao longo de nossas vidas.

Tive a oportunidade de conhecer o autor na Fliporto (Festa Literária de Pernambuco) do ano passado (confiram uma foto minha com ele aqui), na qual ele foi um dos homenageados. Porém, eu já o conhecia do extinto Sexta Cultural, coluna do programa Opinião Pernambuco que falava sobre livros, isso muito antes de começar o blog, por volta de 2005. Esse foi o primeiro livro do autor que li mas, mesmo antes de ter contato com a sua narrativa, já o admirava por suas ideias e por sua biografia.

Recomendo o livro a todos que queiram ter contato com o autor e que desejem saborear sua narrativa leve, recheada de metáforas que tornam a leitura mais prazerosa.

                                                                     

Onde comprar?

Um comentário: