terça-feira, 14 de abril de 2015

[RESENHA] Chamado às Armas e Luz e Trevas (A Guerra dos Fae #2 e #3) de Elle Casey

Olá, leitores!

Hoje trago mais uma resenha casada aqui no blog. Dessa vez os livros são o 2 e o 3 da série A Guerra dos Fae, cujo primeiro volume já tem resenha. Mais uma vez, podem ler sossegados pois não darei spoiler de nenhum dos três livros. ;)



Editora: Geração
Páginas: 358
Publicação: 2014

Resenha de As Crianças Trocadas (A Guerra dos Fae #1)

Depois de todas as aventuras vividas por Jayne e seus amigos em As Crianças Trocadas, agora, em Chamado às Armas, teremos os protagonistas no meio de uma guerra iminente. Já sabendo de sua condição, revelada no final da primeira história, eles começaram um treinamento em busca de aprimorar suas habilidades para o conflito final. Novos personagens surgem para ajudá-los em sua nova missão e, a medida que conhecem mais os nichos dos Fae, ficam mais próximos desses seres e de sua história pregressa.

Uma forte mudança sentida nesse segundo livro é a personalidade da protagonista. Não sei se foi na tradução ou no original, mas Jayne perdeu todo o sarcasmo e o seu uso de palavrões em suas falas. Além disso a personagem assumiu um comportamento ingênuo, que a faz cair em situações que lhe prejudicam, e que nada tem a ver com o seu comportamento do primeiro livro. Talvez isso deva ter acontecido em virtude de um livro voltado para o público infantojuvenil com a carga de palavrões que tinha não ser bem aceito no mercado, porém tal modificação não me agradou nem um pouco durante a leitura.

No terceiro livro da série, Luz e Trevas, teremos Jayne se preparando para o combate final, que envolve os Fae iluminados e os que vivem de escuridão. Para tal, ela contará com a volta de um personagem que saiu no final do primeiro livro. Jayne terá um novo companheiro para aprimorar suas habilidades: o duende verde Tim. Ele terá papel principal no enredo. Teremos agora novas reviravoltas na história, envolvendo traições, manipulações e um forte jogo de disputa de interesses.

O ponto alto de Luz e Trevas é a retomada da personalidade de Jayne. Ela usa suas astúcia e coragem para sair de inúmeras situações que a colocam em risco. Sua verborragia e o uso de palavrões são retomados em suas falas, o que é um ponto positivo na composição da personagem. Contudo, o enredo continua morno, sem grandes evoluções. Os protagonistas continuam basicamente na mesma situação em que estavam no segundo livro: se preparando para a batalha final.

No geral, os dois livros servem como ritos de transição da primeira história, em que os protagonistas descobrem o que são, e para o embate final entre os Fae das trevas e da luz. Não vejo necessidade de haver dois livros para fazer tal coisa. Os dois, enxugados, dariam um bom livro único que cumpriria o mesmo papel. Pouco se adiciona à história principal e o que se tem é um grupo de personagens caminhando, o tempo todo, para um determinado fim. Agora é esperar o quarto e último livro da série com o desfecho final da história e o tão esperado embate.

                                                                     

Onde comprar?

2 comentários:

  1. Olá, Marcos.
    Não tenho muita certeza se foi aqui no seu blog que eu vi um vídeo mostrando o primeiro livro dessa série.
    Achei interessante você ter falado sobre a necessidade de fazer 2 ou 3 livros, quando poderiam enxugar e publicar apenas 1. Encher linguiça é chato para o leitor e é péssimo para o bolso dele (risos).
    Ótima resenha!
    http://ymaia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Marcos, uma pena que tenham esticado o enredo sem necessidade. Isso tem acontecido regularmente.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir