quarta-feira, 1 de julho de 2015

[RESENHA] Red Hill de Jamie McGuire



Editora: Verus
Páginas: 350
Publicação: 2015


A Terra não é mais um lugar em que as pessoas viviam de forma feliz e tranquila. Uma epidemia começou a se espalhar e de uma forma tão veloz está começando a tomar todos os lugares. Scarlet se dedica todos dias as suas filhas, trabalha em um hospital, cujo ali os sintomas desse terrível acontecimento começam a ser manifestados. Nathan tem uma filha chamada Zoe e um casamento falido. Miranda e Ashley são irmãs e estão viajando com seus respectivos namorados para o rancho de seu pai, chamado Red Hill. A vida de cada um deles irá mudar. As pessoas ao redor não serão as mesmas, inimigos inumanos estarão à espreita para atacar aqueles que tentaram sobreviver a essa nova era.
            
Quando soube do lançamento desse livro confesso que fiquei meio receoso. Amo a escrita da autora, mas estou acostumado de ler histórias da Jamie no gênero New Adult, diferente desse que é pós-apocalíptico – o que são duas vertentes totalmente diferentes. No entanto, minha curiosidade prevaleceu e li.
            
O livro é narrado pelos pontos de vistas de três personagens: Scarlet, Nathan e Miranda. Ali é mostrada a trajetória deles por buscar um lugar seguro para salvar as suas vidas. Cada personagem tem uma personalidade marcante, até mesmo os secundários. No começo fiquei um pouco confuso pela divisão dos capítulos, pois um fato acontecia com um personagem e logo mudava para outro.
            
É inevitável não comparar esse livro ao game Resident Evil e ao clássico filme A noite dos mortos vivos. Elementos semelhantes a eles desde o contagio ao modo de matar o zumbi – Ah o livro é sobre zumbis, antes de mais nada.
            
O ritmo desse livro é bem variado. No início é acelerado, depois ameniza (com alguns pontos altos), em determinada parte fica estagnado e depois começa a se reerguer novamente. Confuso, não? Foi boa e ruim.
            
A escrita de Jamie McGuire continua envolvente, mesmo entrando nesse mundo novo. Os diálogos, descrições e conflitos conseguem prender o leitor e uma constante vontade de saber o que vai acontecer com determinado personagem ou situação é criado desde o princípio. O leitor ao ler o livro terá grandes chances de ter empatia com cada personagem, mas vou dar um conselho de amigo para os que vão ler: não se apeguem a eles.

            
Para você que é fã da autora, digo que a fórmula da escrita continua a mesma. Porém, é um gênero totalmente diferente, ou seja, o romance é bem apagado, dando ênfase a epidemia e a busca da sobrevivência dos personagens. O livro não há uma continuação, mas a autora escreveu um spin-off chamado “Among Monsters”, um conto que narra acontecimentos que ocorrem em Red Hill de uma outra perspectiva. 
                                                                     

Onde comprar?

3 comentários:

  1. Estou doida pra ler esse livro desde que soube do lançamento, tanto pela autora quanto pela temática. Bom saber que a narrativa dela continua a mesma, apesar do estilo diferente da história. E já fiquei sabendo que não devo me apegar aos personagens rsrs. Espero poder ler em breve. Adorei a resenha! <3
    Bjos!

    www.secaoreservada.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulinha! <3

      Acho que você vai gostar da história, mas algo que não escrevi na resenha (esqueci rs) é que eles exploram tão pouco o real motivo dessa catástrofe acontecer, mas a leitura dela continua a mesma.

      Abraço5

      Excluir
  2. estou namorando o livro, mas não seria para ler no momento de qualquer fora.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir