terça-feira, 20 de outubro de 2015

[RESENHA] A Voz do Arqueiro (Signos do amor #4) de Mia Sheridan


Editora: Arqueiro
Páginas: 336
Publicação: 2015


Bree Prescott acabou de chegar na pequena cidade de Pelion. O motivo de sair do seu antigo lar foi para espairecer e organizar seus pensamentos de acontecimentos do passado que atormentam até hoje. Aos poucos ela vai conhecendo as pessoas e o lugar e criando apego. Ela se depara certo dia com um homem alto, musculoso, com o cabelo e barba grande, um aspecto primitivo. Aquele é Archer Hale, ele é mudo por consequência de acontecimentos do passado que o traumatizou fortemente. Fantasmas do passado ainda o perseguem, tornando-se para a comunidade de Pelion um antisocial. Os dois serão a luz que finalmente estavam esperando um dia, mas não será apenas flores e obstáculos e até mesmo o passado tentarão impedir dos dois fiquem juntos.
            
A série “Signos do amor” é inspirado nos signos do Zodíaco, ou seja, cada livro terá características de um signo. “A voz do Arqueiro” é o quarto volume da série, mas que não interfere nada no andamento da série num todo. Ele é inspirado no signo de Sargitário.
            
No começo da história há um pequeno prelúdio contando sobre a lenda de Quiron, o Centauro, que no fim ele se tronou em uma constelação de Sargitário, que os gregos antigos chamavam de “O Arqueiro”. A leitura se iniciou de maneira devagar, mas dando informações importantes para o enredo. Porém num determinado momento deu uma guinada e a leitura acelerou e o ritmo só foi aumentando.

"Os olhos dele me diziam tudo que a voz não poderia dizer. Dissemos mil palavras sem nenhuma delas fosse pronunciada." Pag. 140
            
O livro é narrado pelos pontos de vistas dos protagonistas. Para Bree a temporalidade no presente é constante, mas para Archer a autora optou em variar o passado e o presente. Acredito que é para nos mostrar a história dele com mais profundidade para compreendermos algumas ligações durante a narrativa de Bree.
            
A obra é recheada de lições, a principal para mim é acreditar que sempre é o momento de um recomeço, não importa o passado, problemas, fantasmas e tudo que um dia tentou te derrubar ou ferir, pode desvanecer e a bonança chegará. Com um ingrediente chamado amor é responsável de fazer toda diferente, seja ele através de algum parente, namorado, amigo, etc.
            
Bree é uma personagem forte e independente, já Archer por causa das circunstâncias do passado o fizeram ser um homem inseguro, com uma autoestima baixa e o mais triste para mim, solitário. Afastado de todos, infelizmente também não tendo conhecimento de várias coisas. Bree é a porta para Archer conheça coisas novas. Ela é responsável de despertar nele sentimentos nunca sentidos por ele. Ela é uma peça fundamental na vida dele.

"Amar outra pessoa sempre significa se abrir para a dor. Também não quero perder mais do que já perdi, mas será que não vale a pena dar uma chance ao amor?" Pag. 233
            
A escrita de Mia é delicada e intensa ao mesmo tempo. Ela consegue despertar emoções do leitor, fazendo se compadecer e envolver com os personagens. O clímax foi usado de maneira moderada, não deixando a história maçante/parada e nem acelerada e com informações demais. As descrições em algumas cenas é bem sensual e instigante.

            
Esse livro é recomendado para os fãs de amantes. Uma história que agregará algo na vida do leito ao ler com sensibilidade e coração aberto. Fazer essa resenha é difícil, pois amei cada parte da história, os personagens, escrita. Tudo. Prepare os lenços aos ler e mergulhe numa história que mostrará o poder e a transformação que o amor faz na vida das pessoas.

"... as palavras que mais importam são aquelas que vivemos." Pag. 325
                                                                     

Onde comprar?

Nenhum comentário:

Postar um comentário