segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

[RESENHA] O Vilarejo de Raphel Montes



Editora: Suma de Letras 
Páginas: 96
Publicação: 2015 


Era uma vez um vilarejo, que não existe mais. Nele moravam pessoas, digamos, estranhas que tinham histórias bem peculiares de vida para contar. Um dia, alguém descobriu um antigo diário em uma língua antiga e resolveu traduzi-lo para o português. Nele estavam descritas as histórias de terror mais tenebrosas que já existiram. De psicopatas a suicidas. De mentes perversas a demônios com cara de anjos. De tudo poderia se encontrar naquele local.

A cada capítulo do diário nos deparamos com uma nova história a ser contada. Cada uma tomada por algum pecado capital. O que as pessoas são capazes de fazer em nome da luxúria? Da ira? Da ganância? Da avareza? Quando a guerra chega e o frio e a fome desolam os habitantes do vilarejo é o momento em que as pessoas mostram do que são capazes para lutar pela sobrevivência. Mas, ao mesmo tempo, será que tudo o que se imaginou não passava de uma terrível ilusão? Ou o que você sacrificaria em nome de sua vida?

O Vilarejo é uma coletânea de contos de terror interligados que se passam em um mesmo universo, no mesmo espaço de tempo. Esse é o terceiro livro do autor que leio e confesso que sou apaixonado pelo seu trabalho. Logo no primeiro livro que li, Suicidas, ele já foi alçado ao patamar dos meus autores favoritos e seu lugar ficou confirmado a término da leitura de Dias Perfeitos. Esse tomo só veio para aumentar ainda mais minha admiração.


A temática de terror psicológico já é recorrente nos livros do autor. Raphael consegue construir a psique dos personagens com maestria, fazendo com que as camadas sejam retiradas no momento certo, até que se chegue a um ponto principal, uma espécie de clímax. Na narrativa, tem-se os elementos de suspense e verossimilhança muito bem dosados. As crescentes de cada capítulo são muito bem trabalhadas, até que se chegue ao final que vem acompanhado ora de um plot twist ora de uma revelação ou de uma situação inesperada.


O livro tem um projeto gráfico excelente, além das espetaculares ilustrações de Marcelo Damm que ajudam muito no entendimento das histórias, além de estarem justapostas perfeitamente, promovendo o diálogo com o texto escrito. Os detalhes em cada página mostra o esmero com o livro. Por exemplo, se há um assassinato em uma determinada cena, gotas de sangue cobrem justamente a parte da folha em que isso aconteceu. De um capricho sensacional.


Leitura excelente, mais do que recomendada para quem gosta do autor e de livros de terror.
                                                                     

Onde comprar?

5 comentários:

  1. Não conheço este livro, mas segundo vi parece ser o tipo de livro que me agrada bastante e do qual eu fico fã. Vou ver se encontro mais informações sobre ele :)

    ResponderExcluir
  2. Também não conheço, mas me despertou muita curiosidade! Acho que vou "experimentar"

    ResponderExcluir
  3. já vi esse livro po ai na blogfera e gostei dele, desde que li a sinopse, adoro ler contos ainda mais quando é de terror e ainda por cima é nacional, não tem como ser melhor! adorei essa capa.

    ResponderExcluir
  4. já vi esse livro po ai na blogfera e gostei dele, desde que li a sinopse, adoro ler contos ainda mais quando é de terror e ainda por cima é nacional, não tem como ser melhor! adorei essa capa.

    ResponderExcluir
  5. Louca para ler algo desse autor.
    O Vilarejo já está na minha lista a algum tempo, mas ainda não tive a oportunidade de ler. Referente as fotos, achei incrível as ilustrações, e adorei você ter citado as gotas de sangue referente a assassinatos e tals. Beijos
    Lost Words

    ResponderExcluir