sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

[RESENHA] Vá, Coloque Um Vigia (O Sol é Para Todos #2) de Harper Lee



Editora: José Olympio
Páginas: 252
Publicação: 2015

Resenha de O Sol é Para Todos


Agora com 26 anos de idade, Scout, que agora só quer ser chamada de Jean Louise, seu nome de batismo, agora vive em Nova Iorque. Estamos em meados dos anos 70 e, em uma viagem de volta à terra natal, nossa protagonista encontra em Maycomb, Alabama, segredos que ela não gostaria de saber. Sua família e seus amigos mais próximos na verdade não são quem ela pensava que eram. Suas memórias de infância foram todas corrompidas e agora ela tem de encarar o fato de que tudo o que viveu não passou de uma farsa com interesses por trás.

Quem leu o primeiro livro, O Sol é Para Todos, pôde perceber a dimensão que aquela história teve para a literatura universal, não à toa se tornando um clássico. Temas fortes, como o racismo e a luta de classes são tratados com a leveza e a inocência dos olhos de uma criança. Esse foi a grande sacada da autora e que deu à narrativa o tom correto. Na protagonista, Scout, tínhamos todos os sentimentos abordados, correlacionados com o leitor durante a leitura, o que fazia um grande elo de aproximação de ambos.

Mas, neste novo livro, o que temos é uma protagonista completamente contrária à história original. Jean Louise cresceu, viveu em uma grande metrópole e parece ter se esquecido de tudo o que passou quando criança. Agora, já querendo ser dona de seu próprio nariz e achando que o mundo gira ao seu redor, em virtude de morar em Nova Iorque, ela se tornou uma garota mimada, sem escrúpulos, que quer tudo na hora e que parece ter se esquecido de todas as lições passadas pelo seu pai quando criança. Entendo que a autora quis fazer uma espécie de amadurecimento da personagem, mas dizer que ela simplesmente se esqueceu de tudo o que viveu, apenas porque era pequena demais, foi forçar muito a barra. Tenho a mesma idade que Scout e lembro claramente boa parte do que vivi aos meus 6 anos de idade, e me lembraria mais fortemente ainda se tivesse vivido uma experiência como a que a mesma viveu.

Ao terminar a leitura, sinto que terei que reler esse livro, não porque o amei e quero muito rever essa história, mas sim para acreditar no que os meus olhos viram. É lastimante ver personagens que tanto te cativaram sendo desconstruídos em nome de uma continuação forçada. Ainda não consigo acreditar em tudo o que li. Se você gostou do primeiro livro, leia esse segundo por sua conta e risco.
                                                                     

Onde comprar?

2 comentários:

  1. Não li o livro O Sol é para todos mas ouvir dizer que é um livro maravilhoso, li a tua resenha mas não entendi muito bem a história desse livro,acho que porque eu ainda não li o primeiro.

    ResponderExcluir
  2. Oi Marcos, tudo bem?
    Eu não li o primeiro livro, mas fazer um segundo forçado é demais não? :/ ainda mais quando perde a essência do personagem. Não sei a idade e tals, mas tenho 21 anos e sim, lembro de várias coisas de quando tinha 6, e se for algo forte, como parece ter sido para a personagem não tem sentido ela 'esquecer', Tenho muita vontade de ler O Sol é Para Todos, mas não sei se leria Vá, coloque um vigia.
    Beijos, adorei a sinceridade da resenha >3
    Lost Words

    ResponderExcluir