quinta-feira, 24 de março de 2016

[RESENHA] A Indomável Sofia de Georgette Heyer

  
Editora: Grupo Editorial Record
Páginas: 406
Publicação: 2016     
Em um belo dia Sir Horace, irmão de Lady Ombersley a visita e surpreende com um pedido: ele irá viajar para o Brasil e deseja que sua filha, Sophy, fique na casa dela e também arranje um casamento com um homem digno. Sua irmã em primeiro momento fica temerosa com tanta responsabilidade e ao mesmo tempo por seu filho Charles. O filho de Lady Ombersley está na frente das responsabilidades administrativas da família, pois seu pai teve problemas com jogos.
Essa família mal sabe o que irá acontecer depois da chegada de sua familiar. Sofia é uma jovem destemida e que está avançada no seu tempo, no sentido de ser uma mulher que busca sua independência e mal se importa com a opinião alheia. Ela adentra em sua família que não se vê há mais de cinco anos e será responsável de muitas travessuras e também lições. Ela veio para romper a tradição, e mesmo que com conversas controvérsias, ela será uma peça importante para a solução de vários problemas expostos e escondidos de sua família.
O primeiro interesse que tive para ler esse livro foi a capa. Ela realmente remete a um romance histórico e com uma mulher não exposta, nos dá alusão da personagem principal. Ao ler a sinopse, foi batido o martelo para querer realmente ler. A obra superou todas as minhas expectativas.
Sofia é uma personagem que foge do estereótipo de donzela tímida e frágil. No primeiro contato que o leitor tem para com ela é de verdadeira identificação e empolgação, pois seu espírito alegre, comedido e sua postura impulsiva nos atraem de tal maneira que nos faz querer saber mais dessa dama. Sofia também luta pelos seus objetivos e não importa a quem deve enfrentar, ela é destemida e justa. Charles, seu primo, não fica muito empolgado com a intromissão dela em determinados assuntos da família. No entanto, Sofia se mostra alguém tão prestativa e sua empatia contagiante, ela não resiste e começa a sentir algo a mais por ela.


"-Não creio que algum dia venha a aconselhar alguém a perder as esperanças, pois considero isso uma conduta covarde."

Um ponto importante que percebi ao ler foi que o tema principal não foi o romance. A inserção de Sofia a família e sua adaptação trouxe diversas situações que foram fluindo e se costurando. Ela chega a uma situação em que sua família está rachada. Sua prima quer casar com um poeta que não tem nenhuma perspectiva de futuro, o seu primo Hubert está com dívidas de jogos, mas não contou a sua família. Há segredos encobertos e outros já na superfície que estão minando o relacionamento familiar. Sofia com seu jeito irreverente será alguém essencial para trazer paz e alegria. Além disse, outro viés na história importante foi a postura que Sofia se posiciona a sociedade. A história se passa em Londres no começo do século XIX, ou seja, famílias tradicionais com uma moral intacta. A protagonista veio romper padrões como: cavalgar determinado tipo de cavalo em determinado local. Naquela época isso era inapropriado para uma mulher. Senti que isso foi um ingrediente essencial para a leitura ser tão deliciosa.
A escrita de Georgette é fascinante. Ela consegue transportar o leitor àquela época e conseguimos nos envolver com situações. Seus diálogos são carregados de ironia e acidez, fatores também que conseguiu fazer com que a obra ganhasse forma e transformasse em uma leitura instigante.
Para quem é fã de romances de época, essa é uma ótima recomendação. Um livro de 400 páginas que consegue envolver o leitor e mal sabe ele que as páginas passarão rapidamente. Personagens que conseguimos nos identificar, situações que nos deixam alegres e aflitos. Sobretudo, uma escrita que não conseguimos parar quando começamos.
                                                                          
Onde comprar?


Nenhum comentário:

Postar um comentário