segunda-feira, 2 de maio de 2016

[RESENHA] Violent Cases de Neil Gaiman e Dave McKean



Editora: Aleph
Páginas: 
Publicação: 2014

Violent Cases é uma história em quadrinhos que falará sobre memórias. Conheceremos um protagonista que, em meios às suas lembranças da infância, recorda quando precisou ir a um médico de ossos por conta de uma agressão de seu pai, que o fez machucar o seu braço. É com esse homem misterioso que toda a trama se pautará. Em meio à nébulas comuns quando se recorda algo, o protagonista começará a interligar as festas que frequentava durante a sua infância com a violência que ocorria em sua família e aos grandes gângsters da máfia.

Em uma busca à infância, todo um leque de possibilidades pode ocorrer e  passado nem sempre é algo que deva ser revisitado. O quão nossa mente pode nos pregar peças e o quanto realmente sabemos sobre o que vivemos? Essas e outras perguntas são feitas e respondidas ao longo dessa história.



Neil Gaiman é um autor com o qual tenho sérios problemas de leitura. Já li dois contos seus e tentei começar um romance, mas abandonei por não conseguir evoluir em sua escrita. O uso do weird e do realismo fantástico exacerbado, traços fortes de sua escrita, me incomodam muito. No caso dessa HQ, isso ocorreu de forma mais suave. Consegui terminá-la, mas nada me surpreendeu ou me foi prazerosa durante a sua leitura. Achei o enredo um pouco confuso em alguns momentos.



Quanto às ilustrações, muito me agradou o traço de Dave McKean. O tom sombrio que ele dava às cenas, misturando elementos do próprio desenho, como fumaça e texturas, ficou muito interessante. Gostei muito também do uso de colagens em diversos momentos, um elemento que não tinha visto em quadrinhos, reiterando que esse é um formato que ainda li muito pouco.



No geral, Violent Cases é um quadrinho para se ler rapidamente, sem muito se aprofundar na trama. A leitura flui de modo ágil, mas não consegui me aprofundar na história nem tirar nenhuma reflexão desa leitura. Acredito que, quem é fã do autor, deva se interessar em lê-la.

                                                                     

Onde comprar?

Nenhum comentário:

Postar um comentário