quarta-feira, 22 de junho de 2016

[RESENHA] Tá todo mundo mal de Jout Jout


Editora: Companhia das Letras
Páginas: 200
Publicação: 2016

O mundo está em crise. Eu tenho minhas crises e certamente você também tem as suas. Elas podem ser grandes e pequenas, profundas e rasas, importantes ou não... São crises, o que provoca em nós sentimentos e pensamentos adversos. Jout Jout nos traz textos de crises que já vivenciou. São situações da puberdade até relacionamento com seu namorado Caio. Você poderá me perguntar: mas ela só escreveu isso? Sim, mas o engraçado é que podemos nos identificar com suas experiências. Ela logo no começo comenta que normalmente lemos e procuramos saber sobre a crise do próximo pelo simples fato de amenizar as nossas e testificar que elas são menores e menos preocupantes.

Eu tenho sérios problemas com livros de Youtubers. Eu tive a infeliz experiência em ler o livro de uma das maiores do Brasil, a Kéfera. Foi um livro que não absorvi e muito menos me identifiquei com o que ali foi escrito. Tudo bem, #vidaquesegue. Porém, Jout Jout é uma das minhas Youtubers preferidas. Confesso que no começo fiquei desconfiado e olhei torto com a notícia que ela iria publicar um livro, pois pensei: “será mais um entre muitos que estão lançando”. Após ver a capa e o título, tive que desconstruir o meu preconceito de desconfiar de sua capacidade e confirmar ou não o que estava pensando. Sério, errei muito em meu julgamento.
Ninguém pode definir o que é fútil para mim, ninguém decide o que posso ou não fazer. Afinal, é o meu corpo. Assim como eu decido se vou cortar ou não o cabelo da minha Barbie. Não importa, de verdade, se a minha prima acha que é uma má ideia. A boneca é minha, o corpo é meu, eu decido.
A obra contém pequenos textos que Jout Jout conta experiências de sua vida e algum momento se transformou numa crise. Os textos abordam diversos temas como adolescência; relacionamento com a família, amigos e o namorado; profissão; vocação, etc. A sua narrativa é intimista e despretensiosa, parecendo que ela estava do meu lado ou até mesmo diante de uma tela do computador contando suas experiências cômicas e um pouco sérias também.

Eu gostei dos textos e da forma que foram narrados, porém tenho que confessar que senti falta de assuntos mais sérios. O livro é recheado de histórias cômicas e sarcásticas, também teve um espaço sobre assuntos mais sérios, mas nem tanto. Provavelmente o objetivo da autora não foi esse, mas senti falta de temas abordados em seus vídeos fossem um pouco mais aprofundados aqui.
É natural que em um grupo de amigos uma pessoa se aproxime de outra, sem impedir que a amizade continue para todas. Amadurecer tem dessas coisas.
Há textos narrados mostrando nas entrelinhas a postura da autora em determinadas situações vividas. Assuntos sérios como o machismo e relacionamento abusivo – que ela não viveu, mas foi um dos vídeos mais acessados em seu canal com o título de “Não tira o batom vermelho”-. Percebi que uma de suas mensagens foi mostrar para as pessoas que as crises estão aí, prontas para nos abraçar em qualquer situação. Porém, não temos que nos desesperar. Elas são importantes para o nosso amadurecimento e quem sabe para escrever em algum livro sobre o que passamos rs

Teve um texto que me marcou muito. Jout Jout passou num período sem ter o que fazer, não tinha nenhuma perspectiva de qual carreira seguir e qual a faria feliz. Eu estou passando por isso, e a forma que ela lidou com isso está servindo de grande inspiração para eu poder acreditar em mim e minhas habilidades. Acredito que você leitor que está lendo essa resenha também poderá se identificar com algum desses textos. Quem sabe terá crises de riso, se emocionar ao lembrar de alguém que viveu com você determinada situação similar, raiva por sentir a mesma coisa que Jout Jout passou. Despertar sentimentos, essa é uma boa definição que a obra poderá fazer.
As pessoas querem alguém que fale o que elas já sabem, às vezes o que precisam é do respaldo de desconhecidos para poder fazer algo a respeito. A gente precisa de reafirmação o tempo todo para não dar um passo errado, arriscar tudo, fazer uma coisa fora do comum.
Para quem gosta de um livro leve, rápido de ler e é fã de Jout Jout, é mais do que recomendado. Quero também experimentar a linha narrativa de Jout Jout na ficção, pois percebo que há uma muda ali prestes a se florescer, com ideias mirabolantes e criativas.

Ps: é inevitável ler e não ouvir a voz de Jout Jout narrando cada texto rs
        

Onde comprar?


Nenhum comentário:

Postar um comentário