quarta-feira, 7 de setembro de 2016

[RESENHA] A Rebelde do Deserto de Alwyn Hamilton


 
Editora: Seguinte
Páginas: 288
Publicação: 2016

Em uma cidadezinha chamada Vila da Poeira, vive Amani Al’Hiza, uma garota inteligente e destemida. Neste lugar a cultura é rígida como em breve ela terá que se casar e ser uma vida submissa. A cidade é governada por Mirajis, pessoas mortais. Porém sempre há conversas ao redor das fogueiras sobre criaturas místicas poderosas, sobre djinnis que utilizam magia.

Amani vive em constante humilhação e sofrimento após a morte da sua mãe. Morar com parentes nunca foi tão horrível para ela. Além disso, a cultura opressiva para mulher, órfão e pobre é demais. Amani se enquadra nos três requisitos. A garota vê a necessidade de fugir desse lugar que só promete ter um futuro amargo. Assim que conhece Jin, um forasteiro misterioso toma a decisão de fugir com ele. Grandes aventuras a esperam, além do mais irá descobrir mais sobre si mesma e suas origens.
Ouvi muitos burburinhos na blogosfera sobre este livro, então tomei logo a decisão de ter minha própria opinião. Após a conclusão da leitura respirei fundo para tomar fôlego, pois os eventos e tudo que acontece nesta história o leitor irá precisar de uma grande quantidade de ar.
Amani é uma personagem que a literatura está precisando. Ela é destemida, forte, inteligente e busca sempre mostrar que é capaz. Viver num lugar onde as pessoas constantemente olham torto para você não é fácil, porém Amani contorna isso e vive um dia de cada vez superando certas situações horríveis. Ela poderia muito bem viver de melodramas, mas seu posicionamento é outro. Ela se conscientiza que não há tempo para alimentar dramas dentro de si, a necessidade de sair de sua cidade e ir ao lugar que sua mãe sempre sonhou em morar é maior.
A relação entre Amani e Jin inicia de forma fraca, mas aos poucos foi crescendo e tornando cada vez mais forte o elo. Não há um romance forte e declarado, mas a tensão e a química entre ambos são alimentadas de forma bem sucedida durante a trama. Acho que a relação dos dois irá ser mais explorada no próximo volume.
Os personagens são muito bem construídos. São fortes e com personalidade autêntica. As lendas e os conflitos também foram bem desenvolvidos e me mostrou ser um dos pontos altos da história, pois elas que trazem elementos de ação e veracidade.
A escrita de Hamilton é fascinante. Ela consegue envolver o leitor do começo ao fim, fazendo com que cada capítulo tenha algum desdobramento e ação. Os elementos de fantasia, ação e romance são dosados na medida certa, ingredientes que foram capazes de me fazer virar a noite para saber o que iria acontecer com determinado personagem ou como iriam resolver certa situação.
Para os fãs de fantasia, “A rebelde do deserto” é um prato cheio de uma trama bem escrita e desenvolvida. Além de conter aventura, a história também traz lições que pode se remeter à realidade como buscar a liberdade e se desprender de tudo aquilo que te aprisiona, mesmo sem saber como será o futuro ou como irá ser as consequências de seus atos, arrisque-se. O valor da mulher também é mostrado na trama. Um lugar onde as mulheres não tem nenhuma importância, Hamilton mostra personagens fortes e capazes de reverter essa visão.
O segundo volume já tem título “Traitor to the Throne”, será lançado dia 7 de março de 2017 nos Estados Unidos. A capa ainda não foi divulgada. Estou ansioso para ler mais sobre a história de Amani.       

Onde comprar?


Nenhum comentário:

Postar um comentário