segunda-feira, 19 de setembro de 2016

[RESENHA] Zane de Patricia Rossi

  
Editora:  Charme
Páginas: 368
Publicação: 2016     
Quinn Armentrouth estava esperando seu amigo Blane para discutir algo do trabalho em um bar que nunca foi. O atraso do seu amigo a leva observar o lugar, mas em determinado momento seu olhar paira em um homem grande, forte e com ar misterioso. O homem responsável da atenção da moça é Zane, que idolatra sua moto e é música nas horas vagas, quando não está trabalhando na oficina do amigo. Mas Quinn se enganou quando pensou que somente ela estava deleitando observar, Zane sentiu atração por Quinn desde o momento que ela entrou no estabelecimento.
Uma relação é iniciada neste lugar improvável para Quinn. O último relacionamento da moça não acabou bem, pois seu ex-noivo a traiu e ainda fica atrás dela querendo se redimir e ser aceito de volta. Zane também tem uma relação conflituosa com sua ex, Camille, que surge em sua vida de forma obsessiva e poderá ser uma pedra no caminho de Quinn. Além dessas relações mal resolvidas, também tem a diferença de classe social de ambos. Será que isso tudo será a destruição deste casal? Será que um sentimento mais profundo e forte poderá ser suficiente para passar por cima destes obstáculos?
Quando iniciei a leitura de Zane, já esperava um romance em que focaria muito na menina rica e o cara pobre, e que isso transitaria o livro todo. Porém, isso me surpreendeu, pois não acontece isso. O ponto principal não é a condição financeira e social do casal, mas sim a luta de estarem juntos e enfrentando coisas maiores do que o preconceito social.
Quinn é uma mulher independente. Há seis meses separou do noivo, pois além de não sentir absolutamente nada por ele, o rapaz também cometeu um grande erro. Após a separação ela também decidiu morar sozinha e sair das amarras de sua mãe autoritária e que não aceitou nada bem o fim do noivado. Zane, por outro lado, tem uma história mais sombria acarretada de abandono, drogas e uma relação destrutiva e obsessiva. O rapaz é mecânico na oficina do amigo e músico nas horas vagas.
Quando os personagens são nos apresentado já reparamos a atração entre eles. A partir daí algo mais intenso e profundo é nutrido em ambos. Fiquei satisfeito por não conter amor instantâneo, como estou acostumado encontrar em livros do gênero. O casal primeiramente sente atração, depois gradativamente um sentimento mais intenso cresce.
Os personagens são muito bem construídos. Quinn é uma protagonista forte e destemida e que luta com todas forças para conseguir o que quer. Zane é como o Rodrigo Hilbert na vida real, no sentido de sabe fazer tudo e ainda por cima é boa pinta. Não são trabalhados apenas um conflito na trama, mas vários que desenrolam no decorrer da narrativa, o que foi muito bom para trazer forma à história e não fazer com que tornasse um livro só com cenas calientes e pouca ação.
A escrita de Patrícia é envolvente e fluida. Ela consegue trazer o leitor para história, fazendo com que ficamos torcendo pelo casal e até com raiva pela falta de algumas atitudes de certos personagens para fazer com que o problema fosse solucionado mais rápido.
Uma história não apenas de amor, mas de superação e reconhecer que sua conta bancária não é espelho para sua relação com alguém. Sentimentos são expostos na trama e percebemos que o amor é mais forte que muitas pedras pequenas e grandes lançadas no caminho.
Para os fãs de romance, contendo cenas mais quentes, “Zane” é uma ótima recomendação. Trama bem construída, diálogos estruturados de maneira envolvente e cenas pra lá de quentes.

Onde comprar?


 


Nenhum comentário:

Postar um comentário