sábado, 8 de outubro de 2016

[RESENHA] Pedra no Céu de Isaac Asimov

Editora: Aleph
Páginas: 312
Publicação: 2016

Após encarar uma viagem no tempo para o futuro, o alfaiate Joseph Schwartz se depara com um planeta completamente diferente daquele em que vivia. A Terra agora é um planeta de baixa categoria, ficando às margens de um império maior. Por ter sido tão exaurida e explorada, seus recursos naturais se liquidaram e agora todos os habitats não passam de grandes selvas descampadas e muito quentes. Tendo que explorar esse novo lugar e, ao mesmo tempo, descobrindo os novos sistemas políticos que estão regendo o universo inteiro, Joseph seguirá numa jornada de novidades e reflexões internas.

Uma Pedra no Céu é o primeiro livro escrito por Isaac Azimov. Nele temos um resumo de basicamente todos os universos que ele criou e desenvolveu em suas séries de livros posteriores. Esse é ainda meu segundo contato com o autor, só li dele Eu, Robô, mas, sabendo do que se trata a maioria de suas outras obras, consegui captar as premissas de muitas delas nesse livro. Temos elementos da série Fundação e até mesmo robôs são inseridos em algumas partes do livro.

A genialidade de Azimov é incrível. O livro foi escrito na década de 50, ou seja, há mais de 60 anos atrás. Mesmo assim, já traz em seu texto temáticas polêmicas e atuais, bem como críticas sociais que podem se respaldar na sociedade de hoje em dia. Temas como o aquecimento global, a destruição d natureza pela ganância humana, entre outros, já apresentam discussão relevante dentro da narrativa. Isso é sensacional. É interessantíssimo ler o livro é ir percebendo o quão ele facilmente poderia ser lançado como se escrito ontem. É algo muito difícil de se achar em autores e é também a clara característica da qualidade literária do autor, tornando-o um clássico.


Recomendo a todos que queiram começar a ler o autor, bem como aos que já o conhecem, para saber onde tudo começou.
                                                                     

Onde comprar?

Nenhum comentário:

Postar um comentário