quinta-feira, 25 de maio de 2017

[Resenha] A Melodia Feroz (Monstros da Violência #1) de Victoria Schwab


Editora:  Seguinte
Páginas: 384
Publicação: 2017

A cidade de Veracidade é divida em dois lados: Sul e Norte. Norte é o lado da família Harker, que deixam os monstros livres, mas são liderados por um líder humano. Já o lado sul é o lugar de paz, onde não há violência por parte dos monstros e esse local é liderado por Flynn. Dois lugares opostos que está prestes a se chocar. Kate Harker é filha de um homem frio e sanguinário e controlador de monstros, August é um monstro que usando seu violino e por meio de uma nota musical é capaz de roubar as almas de humanos.

August se espelha no pai e não quer ser um monstro. Kate quer ser cruel e tão mal quanto o pai. Sentimentos e desejos opostos. August é convocado para ficar próximo de Kate para vigia-la, mas será difícil de guardar sua identidade. Com um evento crítico os dois terão que unir forças e lutar contra monstros que estão atrás de um único objetivo: matar.

Desde que a editora Seguinte divulgou a capa e sinopse fiquei bastante curioso para conferir a história de A Melodia Feroz, pois parecia ser uma trama original e atraente. E foi realmente que achei. Uma leitura ágil e ao mesmo tempo intensa.

Kate é uma garota problema, pois desde a morte de sua mãe foi enviada para viver em colégios internos, porém sempre era expulsa por algum vandalismo. Seu desejo é morar com o pai e ser como ele: cruel e frio. Dentre esses atos, a garota consegue o que sempre desejou e é enviada para o Norte de Veracidade. August é um sunai, espécie de monstro que se alimenta de pecados dos humanos, e seu instrumento para capturar almas é o violino que através de uma nota musical é capaz de se alimentar. Ele é convocado para se aproximar de Kate, pois a organização da região sul está planejando algo.

Há três tipos de espécies de monstros em Veracidade: os sunais que foram citados acima, os corsais que se alimentam de carne e osso e os malchais de sangue. Os sunais são monstros raros.

A leitura começa de forma branda e recatada, mas aos poucos os personagens foram ganhando espaço, o universo começou a ser mais explorado e finalmente a engrenagem da história começou a movimentar. Senti que no primeiro momento foi no intuito de apresentar os personagens o universo, mas esse último foi mostrado muito pouco, pois informações importantes para compreendermos melhor foram apresentadas só mais para frente, onde os eventos já estavam acontecendo e foco era apenas na ação.

Algo que me prendeu foi a interação dos protagonistas, pois não torna um romance, pois a condição de August – um monstro – não faz com que ele sinta sentimentos afetivos. Porém, é evidente que uma centelha de amizade é construída baseada na confiança.

A escrita de Victoria é objetiva e ágil. Tenho sérios problemas com cenas de ação, pois o autor deve saber narrar os atos dos personagens para melhor visualização da narrativa. Victoria conseguiu com esmero narrar de forma simples, mas com precisão e de forma direta.
                                                                     
Para os fãs de fantasia essa é uma ótima indicação. Um livro que irá tratar da sobrevivência e de mistérios que rodeiam a vida dos personagens, pois estão fugindo de algo desconhecido, mas aos poucos isso é desvendado, fazendo com que não seja tão previsível. A leitura foi rápida e os personagens são bem construídos.


Onde comprar?

Um comentário:

  1. Já li esse livro e também achei muito bom, concordo que o entrosamento dos personagens foi diferente, algo meio sutil de credibilidade. Adorei a resenha, parabéns. To lendo agora Miss Fauna, mas ainda nao encontrei nenhuma critica desse livro na internet, e gosto bastante dele. Deixo a sugestão.

    ResponderExcluir