terça-feira, 25 de julho de 2017

[RESENHA] A Missão agora é amar, de Cristina Melo


Editora: Bezz
Páginas: 574
Publicação: 2016

Lívia é uma mulher esforçada e luta por seus sonhos a cada dia. Ela é professora de dança e estudante de educação física, mas o seu maior sonho é abrir uma academia em parceria com sua melhor amiga, Bia. Em uma operação policial ela depara com seus olhos em alguém que mudará sua vida completamente Gustavo, capitão do Bope é um homem destemido e impulsivo. Quando ele olha para a garota desaforada e linda ele sente algo diferente.

Uma relação intensa está prestes a começar, pois Gustavo quer Lívia, mas a jovem professora de dança tem obstáculos para proteger seu coração contra qualquer tipo de tristeza que viveu em seu passado. Essa história tem dois lados: Algo lindo poderá acontecer ou terá corações partidos para contá-la.

O primeiro contato com esse livro foi ter me apaixonado pela capa, pois combina perfeitamente com o a sinopse. Uma capa chamativa e bem produzida é um dos pontos fortes para conquistar o leitor. Assim que iniciei a leitura não parei mais, porém tiveram alguns pontos que não foram tão atrativos assim.

Lívia é uma personagem que você gosta à primeira vista, por sua força de vontade e com uma personalidade forte e doce ao mesmo tempo. Sua vida sentimental está abalada após presenciar algo horrível. Tudo muda quando em uma operação policial voltando de uma festa depara com um policial ríspido, mas irresistível. Gustavo foi o responsável de abalar as estruturas de Lívia. Capitão do Bope é um homem que ama o que faz, além de ter uma empresa de blindagem.

A relação dos dois é intensa, tanto para seus momentos calientes quanto para brigas. Para eles ficarem juntos é uma longa jornada, pois Lívia não é uma mulher que leva desaforo para casa. Portanto, se Gustavo quiser ficar com ela terá que provar que suas motivações são sérias.

A escrita de Melo é fluida e envolvente, me prendendo do começo ao fim por meio de diálogos e conflitos inseridos na trama. Porém, algo que me incomodou bastante foi o vício em diversos momentos, como Gustavo chamado Lívia várias vezes de Anjo. Acredito que poderia ter um equilíbrio nisso, pois me irritou bastante ter que ler ele a chamando desse apelido em vários parágrafos seguidos. Tirando isso, apesar de ser um calhamaço e conter detalhes da trama, a autora conseguiu aguçar a curiosidade.

Para os fãs de um bom romance A Missão agora é amar é uma ótima pedida. Uma obra instigante do começo ao fim que contém lições de recomeço, perdão, o valor da amizade e até que ponto alguém faria algo por alguém que ama.


Estou ansioso para ler Amor súbito, livro que conta a história de Clara, irmã de Gustavo.
                                                                     

Onde comprar?

Nenhum comentário:

Postar um comentário