quarta-feira, 25 de outubro de 2017

[RESENHA] Os Meninos que Engavam os Nazistas de Joseph Joffo

Editora: Vestígio
Páginas: 288
Publicação: 2017

Joseph e Maurice são duas crianças de 10 e 12 anos que vivem na Paris de 1941. Suas preocupações maiores são saber quantas bolinhas de gude conseguirão ganhar dos outros garotos de sua rua e qual história seu pai irá contar para que eles durmam. Porém, eles começam a perceber que algo estranho está acontecendo no país. Do nada, eles terão que andar com uma estrela amarela enorme bordada na manga de suas camisas e no seu uniforme escolar. Alguns soldados com uma farda escura, com cara de poucos amigos e um símbolo estranho nas roupas começam a povoar a cidade e a comida vai começando a se tornar cada vez mais difícil de ser obtida.

É quando seu pai, dono de uma barbearia no local, os chama para uma conversa séria que a jornada de ambos se inicia. Ele diz que ambos deverão cruzar o país sozinhos em busca de ocupar a parte do país que está livre do exército alemão. A caça aos judeus tinha começado na França e, para que os dois permanecessem vivos, eles terão que arriscar as suas vidas o tempo todo, fugindo de um mal que não compreendem bem, mas que logo sentirão na pele do que se trata. 

Os Meninos que Enganavam os Nazistas é uma espécie de biografia histórica que conta um recorte da vida de Joseph Joffo, autor do livro, e de seu irmão mais velho, Maurice, enquanto eles tinham que fingir não serem judeus para não serem pegos pelo exército nazista. O livro todo é contado em primeira pessoa pela perspectiva de Joseph. Logo no início temos um prólogo que explica que a veia histórica do livro não é o ponto principal da obra, uma vez que o autor não é um historiador, mas sim que se trata de um texto pautado em suas memórias e na forma de como ele lembra de tudo.

A leitura do livro é muito boa, do início ao fim. O texto é fluído e, por ser primeira pessoa e narrado pela própria pessoa que vivenciou tudo aquilo, há uma forte proximidade do leitor para com a vida de Joseph e Maurice. 

Livros sobre Segunda Guerra sempre me interessaram muito, é uma das temáticas que mais gosto de ler. Acredito que todo o horror vivido por aquelas pessoas naquele período tenebroso da história deve servir para que a humanidade se recorde de toda a barbaridade vivida naquele período e que não cometamos novamente o mesmo erro, da mesma forma. Em Os Meninos, vemos sob a perspectiva infantil tudo o que se desenrolava naquele momento, outro formato de narrativa que gosto bastante de ler. Lembrou, em alguns momentos, a leitura de O Menino do Pijama Listrado, do meu autor favorito da vida, John Boyne, com a diferença que lá era uma ficção e nesse livro tudo o que foi narrado de fato aconteceu, o que perturba ainda mais.

Recomendo muito a todos que se interessem pela temática ou que queiram começar a ler sobre, mas não queiram algo mais técnico ou histórico. É um livro extremamente necessário e uma ótima forma de começar a ler os horrores que uma grande guerra mundial traz para o mundo e, sobretudo, para as pessoas.

                                                                     

Onde comprar?

Nenhum comentário:

Postar um comentário