segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

[RESENHA] Mile High (Nas Alturas #2), de R. K. Lilley


Editora: Charme
Páginas: 336
Publicação: 2017

Dias depois do ataque do seu pai, Bianca acorda em um hospital desorientada onde está. Ali está o homem que em poucas semanas deixou seu mundo de cabeça para baixo. Sua vida em poucos dias adentrou em um mundo obscuro de prazer e um lado desconhecido de onde seus sentimentos podem chegar.

Agora ela terá um tempo para refletir e organizar seus pensamentos, porém, perceberá que ela precisa de James Cavendish ou Sr. Cavendish, melhor dizer Sr. Magnífico tanto quanto ele precisa dela. Uma relação intensa e com sentimentos à flor da pele mostrará à Bianca novos caminhos, segredos não revelados e até pessoas que fizeram parte do passado de James, mas que até hoje pode influenciar em seu relacionamento com ele. Será que ela será forte o bastante?

Quando li o primeiro volume dessa série fiquei animado, pois era um livro que muitas pessoas elogiavam os personagens e a trama em si. Pois bem, gostei tanto da história como da escrita da autora. Assim que terminei o segundo, minha visão sobre algumas coisas mudaram, não que desestimulou na leitura, mas apenas estranhei mesmo questões vindas do Sr. Cavendish.

Bianca após sofrer um ataque do seu pai, que até então estava desaparecido de sua vida há muito tempo, terá que dobrar o cuidado com sua segurança. Porém, não é apenas isso que terá cuidado, mas também do seu coração. Ela a cada dia tem sentido algo forte, sentimentos nunca imaginados antes por James.

Há dois pontos que a autora foca durante o desenvolvimento da trama: a confiança, pois Bianca é uma personagem que não confia em qualquer pessoa, seu passado é resposta disso. A única pessoa que ela confia é em seu melhor amigo Stephan. James terá que lutar bastante para conquistar a sua confiança, e isso leva tempo, algo que o rapaz não está muito acostumado.

Outro ponto que a autora destaca é o relacionamento de Bianca com James. Bianca tem um passado triste, já James tem o seu pervertido e obscuro. Ela reconhece os sentimentos que está sentindo por ele para si, mas por sua falta de confiança não consegue externar. Nesse segundo volume, o diálogo e a sinceridade são questões tratadas para que o relacionamento do casal seja promissor.

Algo que me estranhou com relação ao Sr. Cavendish é sua obsessão por Bianca. Pode ser que nos outros livros do gênero tenha semelhanças sobre isso e não reparei, mas nesse pra mim percebi algo mais aberto ou nítido. Não duvido da paixão, atração ou até mesmo do amor dele por ela, mas me pareceu algo doentio sobre controlar não somente a garota nos momentos íntimos, mas também em suas decisões de sua vida. Pareceu como ter Bianca como marionete.

O que citei acima não quer dizer a leitura foi ruim. Não. A escrita Lilley continua fluida e envolvente. Não há tantas cenas calientes em muito menos de BDSM. Como já disse, a autora quis focar mais na relação do casal no parâmetro do diálogo e confiança. Os personagens continuam tendo uma ótima química e personagens secundários também são bem trabalhos e tendo seu destaque em momentos propícios.

Para os fãs da série e do gênero é uma ótima indicação de voo, quer dizer de leitura. A história é rápida de ser lida, com personagens com química e conflitos condizentes com a trama.

O próximo livro chamará Graunded e provavelmente será lançado em 2018.
                                                                     

Onde comprar?

Um comentário: