terça-feira, 30 de janeiro de 2018

[RESENHA] Mestre das Chamas de Joe Hill


Editora: Arqueiro
Páginas: 592
Publicação: 2017

Filho de peixe peixinho é? Para quem não sabe, Joe Hill é filho de Stephen King. E é claro que a gente (ou eu) acabamos fazendo comparações. Porque é inevitável. Seria o mesmo que, por exemplo, ler um livro publicado por um dos filhos da Rowling e procurar as influências ou o mesmo talento da mãe na obra.

É claro que Hill tem sua própria forma de contar história. Li todos os livros dele publicados pela Arqueiro, inclusive o conto em parceria com o pai. O meu preferido é Nosferatu. O filme de "O pacto", renomeado como "Amaldiçoado", tem Daniel Radcliffe como protagonista. "Mestre das chamas" me deixou na expectativa de ver uma história tão boa quanto Nosferatu. No livro, uma praga aparece na pele das pessoas e, sem muita demora, faz com que elas entrem em combustão e morram.
A narrativa se torna lenta, arrastada, em vários momentos. Não é aquela verborragia em que o autor procura desenvolver o personagem ou localizar o leitor no momento da história. Tanto que o livro podia ter muito menos páginas do que tem.

Eu não entendi muito bem a proposta desse livro. Ganhador de prêmio na categoria terror, ele deixa muito a desejar nesse quesito. O que eu encontrei ali foi uma fantasia simples e pura. E não foi isso que eu esperava ver quando peguei o livro para ler. Eu queria o terror e suspense e não pessoas com a capacidade de controlar as chamas.

É claro que o livro não é de todo ruim. O que me incomodou é isso: eu queria terror, encontrei fantasia.
                                                                     

Onde comprar?


Nenhum comentário:

Postar um comentário