segunda-feira, 16 de julho de 2018

[RESENHA] As Sobreviventes, de Riley Sager

Editora: Gutenberg 
Páginas: 336
Publicação: 2017

"As Sobreviventes", livro escrito por Riley Sager, conta a história de Quincy Carpenter, a sobrevivente de um crime que ficou conhecido como Massacre do Chalé Pine. Junto com outras mulheres que passaram por situações semelhantes, Quincy é conhecida como Garota Remanescente. O livro vai narrar como esse acontecimento moldou a personalidade dela e não a fez perceber algumas coisas que lhe acontecem no decorrer da história.

Não sei vocês. Mas quando eu pego um livro pra ler, já pelo título eu imagino toda uma história. Iniciei a leitura de "As Sobreviventes" imaginando uma história em que vítimas de um crime se tornam novamente alvo de um assassino. E que esse seria o fio condutor da história.  Não me enganei por completo. 

Nesta história, após sobreviverem a crimes diferentes, as mulheres Remanescentes seguem com suas vidas até que, um dia, uma delas morre. Somos guiados pelo ponto de vista da sobrevivente do massacre do Chalé Pine. Quincy tem alguns problemas de memória sobre o que aconteceu naquele dia fatídico, o que a impede de se tocar sobre certas coisas. A narrativa alternar entre o momento atual e os acontecimentos do Chalé Pine. O livro começa de forma impactante, porém no desenvolvimento peca em alguns momentos. É difícil até mesmo apontar alguns deles, pois eu teria que dar spoilers.

Não sei até onde eu gostei da revelação ao final da história. Acho que no mundo atual, cheio de tecnologia e informação, algumas coisas não cabem tanto em suspenses policiais. É um livro bom para quem procura uma história transitória, rápida. Mas que não pede muita expectativa sobre um clímax marcante.
                                                            

Onde comprar?

Nenhum comentário:

Postar um comentário